FaceBook Twitter Google+
Início » Arquivo » Eventos de Maio 2017
10° Múltipla Dança - Festival Internacional de Dança Contemporânea com programação gratuita



Quando: de 20 a 27 de maio
Onde: em diversos locais da cidade
Quanto: Gratuito
e-mail: multipladanca@gmail.com

Com o patrocínio da Caixa Econômica Federal e realização da Arte Movimenta, o 10º Múltipla Dança - Festival Internacional de Dança Contemporânea volta a movimentar Florianópolis entre os dias 20 e 27 de maio com 20 convidados, 11 trabalhos em cena, quatro oficinas, uma mostra de fotografia, cinco diálogos, dois lançamentos - um livro e uma videoarte, uma homenagem e a mostra de videodança, com a apresentação de 19 trabalhos. Todas as ações têm entrada gratuita e acontecem em diversos locais da cidade. Os ingressos devem ser retirados no local, uma hora antes dos espetáculos. Saiba mais e programe-se no site: www.multipladanca.art.br

O festival considerado o mais importante nesta área do Sul do Brasil, abre no dia 20, às 20h, no Teatro Pedro Ivo, com a estreia em solo catarinense de Protocolo Elefante, do Grupo Cena 11 Cia. de Dança (SC), espetáculo que investiga na ação de afastamento e isolamento do elefante na iminência de sua morte, uma metáfora da separação e exílio. Os ingressos são gratuitos, basta chega numa hora antes do início da apresentação.

Com forte carga inovadora, a programação desponta com o novo trabalho do Cena 11, grupo que existe há 22 anos em Florianópolis como construtor de uma carreira reconhecida no âmbito nacional e internacional. Além do volume de atividades, o evento tem uma pegada política, uma das características da produção de dança contemporânea de Santa Catarina que se insere na cidade, no urbano, no fluxo – no encontro e no desencontro das existências. Ocupa parque e ruas, busca a paisagem e a arquitetura.

A décima edição envolve profissionais e pesquisadores de três Estados brasileiros: Santa Catarina, Paraná e São Paulo. Entre os convidados estão Inês Bogéa, diretora da São Paulo Companhia de Dança, que atuou como crítica do jornal Folha de S. Paulo e dirigiu mais de 40 documentários sobre dança. Ela fará a videopalestra Dança em Construção no 25 de maio, às 20h, no Teatro Sesc Prainha. O seu vasto currículo inclui doutorado em artes, além das atividades como bailarina, documentarista, escritora e professora na Universidade de São Paulo.

Do Paraná, vem Marila Velloso, artista da dança, doutora, professora do colegiado de dança do Campus Curitiba II da Unespar. Envolvida na criação do Fórum de Dança de Curitiba, além de ter sido representante da dança do Conselho Nacional de Política Cultural/MinC (2014-2015), ela integrará no dia 23 de maio, às 14h, no Casarão, o diálogo Dança Etc., no qual também estará a bailarina, diretora e coreógrafa Key Sawao. Formada em dança contemporânea e práticas orientais de movimento, ela criou, dirige e integra o núcleo Key Zetta e Cia. que ajuda o Múltipla Dança a cumprir o compromisso de formação de plateia com o espetáculo Para Todos os Seguintes, voltado para o público infantil. E, em aderência ao desejo de combater preconceitos e defender a riqueza da diferença, o espetáculo inclusivo – Convite ao Olhar, trabalho criado em Florianópolis será apresentado no Parque Jardim Botânico, no bairro Itacorubi.

Fora isso, o festival tem encontro e discussão, além de um espaço valioso para a aprendizagem, com oficinas. Tudo é gratuito, inclusive as ações chamadas Em Cena. Ao escapar de categorias, como gênero e modalidade, ao transitar em campo difuso e instável, a maioria dos trabalhos não se adequam mais ao termo espetáculo. Assim, a edição agrega uma composição urbana, uma instalação coreográfica, uma conferência dançada, uma videopalestra, duas performances e cinco espetáculos. O acompanhamento desta agenda possibilita, mais do que deleite, aprendizagem e um amplo campo de reflexão sobre dança e arte contemporânea.

A mostra de videodança está assegurada graças à parceria com o Dança em Foco – Festival Internacional de Vídeo & Dança e da Fundação Cultural Badesc, onde ocorrerá a exibição nos dias 22 e 23 de maio, às 19h. A iniciativa divulga 19 trabalhos, divididos em três etapas: coreoedições, experimentos e curtas internacionais.

Homenagem e economia solidária

Escritora, educadora, dançarina, diretora, pesquisadora, Ida Mara Freire será a homenageada. Como crítica de dança, provocadora escreve de modo simples e claro, como se estivesse em busca de um leitor que têm pouco acesso ao mundo da dança. O Múltipla Dança reconhece a contribuição à dança de Santa Catarina que se dá por sua dedicação e entusiasmo, “seja pela dança na vida, seja pela vida na dança”. Ida Mara receberá o troféu criado pela artista Raquel da Silva.

Ainda no circuito dos afetos e da gratidão, o melhor de tudo: o Múltipla Dança 2017 ganha amplitude a partir da sustentabilidade que vem da economia solidária. Cada um dos artistas fez a sua parte para assegurar a realização do projeto. “Junto ao Cena 11, outros catarinenses compõem o programa: Egon Seidler, Daniela Alves, Karina Collaço, Anderson do Carmo, Cristiano Prim, projeto Corpo, Tempo e Movimento e Entropia - Experiências Artísticas. É pelo esforço cooperativo destes convidados que o Múltipla Dança 2017 ganha vida. Agradecemos sua disponibilidade em assumir uma atitude co-responsável com relação a este encontro, reconhecidamente importante ao contexto da dança contemporânea profissional de Santa Catarina e brasileira. Não à toa, o tema economia solidária está presente em um dos diálogos programados. Além dele, consta a proposta para pensar o campo da dança em sua multiplicidade, considerando os artistas que assumem funções muito além da criação”, escrevem as curadoras Jussara Xavier e Marta Cesar.

MÚLTIPLA DANÇA EM NÚMEROS

Três Estados: Santa Catarina, São Paulo e Paraná

Vinte convidados: Alan Stone Langdon, Ana Alonso, Anderson do Carmo, Cia. de Dança Lápis de Seda, Cristiano Prim, Daniela Alves, Egon Seidler, Entropia - Experiências Artísticas, Grupo Cena 11 Cia. de Dança, Hedra Rockenbach, Inês Bogéa, Jussara Belchior, Karina Collaço, Key Sawao, Key Zetta e Cia., Mariana Pimentel, Marila Velloso, Néri Pedroso, Projeto Corpo, Tempo e Movimento e Rodolfo Lorandi

Uma homenagem: Ida Mara Freire

Doze lugares: Caixa Econômica Federal - Agência Poeta Zininho, Casarão (Praça dos Bombeiros), Floripa Shopping, Fundação Cultural Badesc, Jurerê Sports Center, Kirinus Escola de Dança, Parque Jardim Botânico, Ponta do Coral, Sala Espaço 2 Ceart/Udesc, Teatro Álvaro de Carvallo (TAC), Teatro Sesc Prainha e Teatro Pedro Ivo

Onze “espetáculos” (em cena): Protocolo Elefante (espetáculo), O que É Estar Aqui? (composição urbana), Para Todos os Seguintes (espetáculo infantil), Fome (instalação coreográfica), Aurora (espetáculo), Ensaio para Algo que Não Sabemos Protocolo 1: construção (conferência dançada), Rinha (performance), Ensaio sobre a Retórica (performance), Dança em Construção (videopalestra), Experiência 4 (espetáculo) e Convite ao Olhar (espetáculo)

Uma mostra de vídeo: 19 filmes, inseridos em três temas:coreoedições, experimentos e curtas internacionais

Uma exposição de fotografia: O Fotógrafo também Dança, de Cristiano Prim

Quatro oficinas: Movimento Tridimensional em Dança, Técnica e Pesquisa de Movimento, Percepção Física e Composição Generativa e Dança Inclusiva

Cinco Diálogos: Néri Pedroso entrevista Cristiano Prim, Dança Etc., Pré-conferência da Setorial de Dança de Florianópolis, Economia Solidária e Eleição dos novos representantes da Setorial de Dança
Lançamento de livro: Rumor, de Pedro Franz e Grupo Cena 11
Lançamento de videoarte: Coral da Ponta, de Alan Langdon

FICHA TÉCNICA

Direção geral: Marta Cesar
Coordenação de programação e curadoria: Jussara Xavier e Marta Cesar
Produção executiva e coordenação administrativa: Neiva Ortega
Assistência de produção técnica: Juarez Mendonça JR
Fotografia e vídeo: Cristiano Prim
Projeto gráfico e mídia eletrônica: Paula Albuquerque
Site e ilustração (sobre foto de Cristiano Prim): Fabio Dudas
Assessoria de imprensa: Néri Pedroso
Articuladoras: Jussara Xavier, Marta Cesar, Neiva Ortega, Néri Pedroso e Paula Albuquerque
Agradecimentos: Daiane Dordete, Eneléo Alcides, Felipe Arthur Moritz, Ivo Godois, Raquel da Silva, Regina Levy, Rodolfo Pinto da Luz, Selma Junkes
Realização: Arte Movimenta
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

Apoio institucional: Centro de Artes (Ceart)/Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), Fundação Cultural Badesc, Governo do Estado de Santa Catarina/Fundação Catarinense de Cultura/Secretaria de Administração, Dança em Foco - Festival Internacional de Vídeo & Dança, Floripa Shopping, Prefeitura Municipal de Florianópolis/ Companhia de Melhoramentos da Capital (Comcap)/Parque Jardim Botânico de Florianópolis, Serviço Social do Comércio (Sesc), Kirinus Escola de Dança, Jurerê Sports Center (Jusc) e Komcorp - Assessoria Empresarial e Contábil.

OFICINAS

O Múltipla Dança oferece nesta edição 4 oficinas com inscrições gratuitas:
- Movimento Tridimensional em Dança – Marila Velloso (PR)
- Técnica e Pesquisa de Movimento - Key Sawao (SP)
- Percepção Física e Composição Generativa – Grupo Cena 11 Cia. de dança (SC)
- Dança Inclusiva – Ana Luiza Ciscato, Cia Lápis de Seda (SC)

As inscrições podem ser encaminhadas até o dia 10 de maio e o resultado da seleção estará disponível no dia 15 de maio na página do Múltipla Dança no Facebook. Participe!

23 e 24 de maio, 9h às 12h, Kirinus Escola de Dança
Movimento Tridimensional em Dança – Marila Velloso (PR)

Alguns fatores inibem o corpo de se lançar tridimensionalmente no espaço, de explorar outros pontos de vista e de percepção em movimentos de dança. A própria frontalidade usualmente utilizada nas concepções coreográficas constitui-se como um desses inibidores espaciais. A oficina apresenta estratégias corporais para que o corpo possa atuar de modo diferente.

Público alvo: Interessados no corpo e espaço e (ou) em dança.
Número de participantes: 30 vagas.

Inscrição gratuita: Envio de breve CV e carta de intenções para multipladanca@gmail.com até o dia 10 de maio. O resultado da seleção será divulgado no dia 15 de maio na página do Facebook (facebook.com/festivalmultipladanca)

24 de maio, 14h às 17h, Casarão (Praça dos Bombeiros)
Técnica e Pesquisa de Movimento - Key Sawao (SP)

Key Sawao compartilha seu trabalho com foco no fluxo de movimentos internos no corpo, fortalecimento do centro, circulação de energia e pesquisa de movimento.

Público alvo: Estudantes de dança, interessados em geral.
Número de participantes: 25 vagas.
Inscrição gratuita: Envio de breve CV e carta de intenções para multipladanca@gmail.com até o dia 10 de maio. O resultado da seleção será divulgado no dia 15 de maio na página do Facebook (facebook.com/festivalmultipladanca)

25 a 27 de maio, 12h às 15h, Jurerê Sports Center
Percepção Física e Composição Generativa – Grupo Cena 11 Cia. de Dança (SC)

Ministrada pelo coreógrafo Alejandro Ahmed e pela bailarina e assistente de criação do Grupo Cena 11 Mariana Romagnani, a oficina tem o intuito de instrumentalizar o corpo para processar informações de maneira a torná-lo mais apto a observar e fazer um exercício crítico constante do movimento, buscando um controle mais apurado das dramaturgias que este pode propor.
Ao transitar por informações que guiam os atuais interesses estéticos do Cena 11, a oficina é voltada para o exercício de estratégias coreográficas que evidenciam a co-autoria de cenas formuladas através de emergências composicionais. Essas operações propõem uma dança em que a deliberação das ações não seja o mote primeiro de sua composição, mas que se formule a partir de um controle remoto em que percepção e adaptação são instrumentos de negociação com outros corpos e limites.
A oficina é dividida em dois módulos correlacionados. Na primeira parte são explorados exercícios que propõem diferentes modos de lidar com o peso do próprio corpo como matéria de produção da movimentação. E, ainda, que buscam aprimorar a consciência de vetores gerados e percorridos pelo corpo durante cada ação. Em extensão, a segunda parte da oficina utiliza os mesmos parâmetros em ações coletivas, tomando como partida algumas cenas das últimas produções da companhia.

Público-alvo: Artistas, performers, bailarinos, atores.
Número de participantes: 25 vagas.

Inscrição gratuita: Envio de breve CV e carta de intenções para grupocena11@gmail.com até o dia 10 de maio. O resultado da seleção será divulgado no dia 15 de maio na página do Facebook (facebook.com/festivalmultipladanca)

26 de maio, 15h às 18h, Parque Jardim Botânico
Dança Inclusiva – Ana Luiza Ciscato, Cia. de Dança Lápis de Seda (SC)

A oficina propõe alguns dos princípios básicos do trabalho com a dança inclusiva que fundamenta a trajetória da Cia. de Dança Lápis de Seda. Com base na técnica do danceAbility, adotam-se exercícios de improvisação capazes de desenvolver o autoconhecimento, a disponibilidade para relação e confiança. Cada participante será encorajado a se envolver na dança a partir de escolhas espontâneas de sua consciência corporal, numa proposta que prima pelo equilíbrio entre a busca pela superação de limites e o respeito às individualidades. A intenção é preparar uma apresentação pública (interferência urbana) no final da oficina.

Público alvo: pessoas com ou sem deficiência, professores de dança, educadores físicos, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, interessados no tema.
Número de participantes: 20 vagas.

Inscrição gratuita: Envio de breve CV e carta de intenções para multipladanca@gmail.com até o dia 10 de maio. O resultado da seleção será divulgado no dia 15 de maio na página do Facebook (facebook.com/festivalmultipladanca)

EM CENA

20 de maio, 20h, Teatro Pedro Ivo
ESTREIA: Protocolo Elefante – Grupo Cena 11 Cia. de Dança (SC)
ESPETÁCULO

Protocolo Elefante investiga a ação de afastamento e isolamento do elefante na iminência de sua morte uma metáfora de separação e exílio.
Um questionamento sobre o modo como fatores contidos no ambiente ao qual pertencemos (pessoas, comportamentos, línguas, afetos, objetos e dispositivos relacionais de convívio) são afetados quando migramos a sós para um contexto diverso e distante destas familiaridades e simetrias do pertencer.
O acionamento do sentimento de falta, produzido por este encontro assimétrico de identidades, é um importante objeto condutor para algumas perguntas chave que conduziram a pesquisa: o que é pertencer ou necessidade de pertencimento? Qual é a nossa definição de identidade? Ritual de descontinuidade e vestígio, Protocolo Elefante é entender identidade como entropia. É propor um grupo compartilhando a solidão que nos define.

Criação, direção e coreografia: Alejandro Ahmed
Criação e performance: Aline Blasius, Edú Reis Neto, Hedra Rockenbach, Jussara Belchior, Karin Serafin, Marcos Klann, Mariana Romagnani e Natascha Zacheo
Direção de trilha, iluminação e performance: Hedra Rockenbach
Assistência de criação: Mariana Romagnani
Direção de figurino e assistência de direção: Karin Serafin
Assistência de ensaio e preparação técnica: Malu Rabelo
Artistas convidados etapa espelho: Wagner Schwartz, Michelle Moura e Eduardo Fukushima
Elementos de cena: Roberto Gorgatti
Sede e preparação técnica: Jurerê Sports Center - Centro Artístico e Esportivo de Jurerê
Solilóquio: Alejandro Ahmed, Aline Blasius, Anderson do Carmo, Edú Reis Neto, Hedra Rockenbach, Jussara Belchior, Karin Serafin, Malu Rabelo, Marcos Klann e Mariana Romagnani.
Livro Rumor: Pedro Franz e Grupo Cena 11
Artista convidada Solilóquio/2015 e residência Vestígio e Continuidade 2016:
Priscilla Menezes
Residência Vestígio e Continuidade:
Bienal Sesc de Dança 2015
Sesc Consolação 2016
Projeto Selecionado Rumos Itaú Cultural

Este projeto foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2014.
Projeto realizado com o apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, Funcultural e Edital Elisabete Anderele/2014.
Duração: 90 minutos
Indicação: 16 anos

21 de maio, 14h, dunas da Av. das Rendeiras, Lagoa da Conceição
COMPOSIÇÃO URBANA O Que É Estar Aqui? – Projeto Corpo, Tempo e Movimento (SC)

Um local específico da cidade fornece percursos a serem trilhados e reinscritos a partir da provocação: o que é estar aqui? Trata-se de uma proposição ao público, um convite à partilha de um mesmo espaço-tempo para a construção coletiva de um habitar momentâneo que pode deixar suas marcas mesmo na tentativa de apagá-las.

Criação e concepção: Diana Gilardenghi, Milene Duenha, Paloma Bianchi,
Sandra Meyer
Interlocutora convidada: Luana Raiter
Duração: 60 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

21 de maio, 16h, Teatro Álvaro de Carvalho
ESPETÁCULO INFANTIL Para Todos os Seguintes – Key Zetta e Cia. (SP)

Peça criada para crianças, que traz em si uma tonalidade intensiva de corpo, movimento, gesto, som, cor e luz, numa tal medida e modo, que tanto os pequenos como os adultos que as acompanham, acabam por ter uma experiência alegre - no sentido de uma força ativa e de um devir infantil que envolve todos que ali presenciam o espetáculo.
Quatro pessoas dançam intensamente ao som da doce e refinada composição musical, num jogo cênico de movimento que brinca com as possibilidades da mágica. Não exatamente apostando na ilusão, mas sim na alegria em provocar efeitos ilusionistas criados com objetos, os próprios corpos e seus modos de mover. Os percursos desenhados por cada personagem se entrecruzam, promovem encontros inusitados no espaço no qual a cor vermelha predomina e intensifica a percepção. O inesperado emerge numa dança cheia de ritmos, nuances e surpresas a cada instante.
Para Todos os Seguintes é o primeiro espetáculo infantil dirigido por Key Sawao e Ricardo Iazzetta.

Direção: Key Sawao e Ricardo Iazzetta
Intérpretes: Carolina Minozzi, Key Sawao, Mauricio Flórez e Ricardo Iazzetta
Trilha sonora: Ramiro Murillo
Música: Ramiro Murillo ou Aguinaldo Bueno
Coordenação de arte e espaço cênico: Hideki Matsuka
Assistência: Beatriz Sano
Fotos: Cris Lyra
Projeto gráfico: Artefactos Bascos
Produção: Key Zetta e Cia. e Maíra Silvestre/Carpideiras
Duração: 35 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos
Projeto contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2013

21 de maio, 20h, Sala Espaço 2 CEART
INSTALAÇÃO COREOGRÁFICA Fome – Entropia - Experiências Artísticas (SC)

Fome é uma instalação coreográfica pensada a partir das consequências geradas pela industrialização da carne, na tentativa de abordar no corpo questões que abrangem a artificialidade na composição do alimento, a relação entre erotismo e consumo, entre animal, humano e alimento, e a fome – necessidade ou desejo? Entre fissuras que contornam nitidez e opacidade, os corpos em cena orbitam representações humanas e animais de si mesmos num processo de transfiguração e reconhecimento.

Direção e atuação: Lucas Gabriel Viapiana e Thaina Gasparotto
Cenografia e design gráfico: Luana Leite
Sonoplastia: Hedra Rockenbach
Colagens: Anderson Paulino
Operação de luz: Marina Argenta
Colaboração artística: Ana Alonso
Equipe de produção: Gabrielli Veras e Laura Manuella
Fotografia: Thaís Alvez
Filmagem: Daniela Colossi
Duração: 40 minutos
Indicação: 14 anos

22 de maio, 20h, Casarão
ESPETÁCULO Aurora – Egon Seidler/Traço Cia. de Teatro (SC)

Ela vislumbrou a possibilidade de mudar o mundo. Os livros que descobriu foram os propulsores de sua viagem. Do imaginário, partiu para a ação sem o freio da dúvida. Precisou, comunicou, mudou e fugiu do meio e dos outros. “Como um grande artista que pode destruir sua obra se lhe aprouver, porque um raio de luz a mostra imperfeita, assim fiz eu.”
O espetáculo é livremente inspirado no romance A Virgem Vermelha, de Fernando Arrabal, e na vida de Aurora Rodríguez Carballeira. Um trabalho que apresenta movimentos do despertar, da obsessão e do desejo que conduziram Aurora a um universo singular.

Plano e ação: Egon Seidler
Dramaturgismo e vestes: Zilá Muniz
Lugares: Ana Pi
Temperaturas: Greice Miotello
Sons: Fê Luz
Desenhos: Lena Muniz
Capturas: Diogo G. Andrade
Assistência: Débora de Matos
Engenharia: Traço Cia. de Teatro
Duração: 48 minutos
Indicação: 12 anos

23 de maio, 20h, Casarão
CONFERÊNCIA DANÇADA Ensaio para algo que não sabemos -
Protótipo 1: construção – Daniela Alves e Karina Collaço (SC)

Compartilhamento de ideias, necessidade de existência, atravessamentos, resistência: Ensaio para Algo que Não Sabemos é um encontro subsidiado pelo desejo-incumbência de existir e fazer existir no mundo por meio da dança. O processo de investigação parte da construção de um alfabeto de gestos simbólicos e abstratos que, de forma acumulativa, recebe diferentes proposições de modo a ressignificar as imagens geradas, ampliando seus sentidos. Cinco são os princípios que norteiam o trabalho: coreografia, contaminação, cópia, combinação, apropriação.

Criação e concepção: Daniela Alves e Karina Collaço
Elenco: Daniela Alves e Karina Collaço
Trilha sonora: Chico Martins e Jean Mafra
Duração: 1 hora e 20 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

24 de maio, 17h30, Caixa Econômica Federal - Agência Poeta Zininho
PERFORMANCE Rinha – Entropia - Experiências Artísticas (SC)

A perspectiva da disputa tem condicionado cada vez mais as relações humanas. Desde o nascimento, toda pessoa é estimulada a ser a melhor, a chegar primeiro, a vencer o que quer que esteja em jogo, doa a quem doer. E o democrático espaço urbano é onde o ímpeto por embate acaba exposto, no caminhar apressado ou na conquista pelo melhor lugar: de repente, a rinha se configura e somos todos cães de briga. Rinha é uma proposição cênica sobre os confrontos cotidianos, mas é, sobretudo, uma forma de guerrear contra a própria lógica da disputa. Através de violentas rachaduras na realidade dormente da rua, a atmosfera do embate é instaurada tanto pelos performers quanto no espaço que se cria nas relações com os transeuntes. Como na rinha, aquele que se mantém de pé é o vencedor.
Vencedor ou apenas o último a abandonar a disputa?

Direção: Luana Leite
Intérpretes-criadores: Camila Raquel, Laura Manuella, Lucas Viapiana, Marina Argenta e Thaina Gasparotto
Preparação corporal e assessoria dramatúrgica: Elke Siedler
Colaboração artística: Claudio Oliveira, Lucas Borges e Vanilton Lakka
Produção: Gabrielli Veras
Fotografia e vídeo: Ana Castello
Figurino: Entropia Experiências Artísticas
Sonoplastia: André Binärezeichen
Design gráfico: Luana Leite
Duração: 50 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

24 de maio, 19h, Fundação Cultural Badesc
PERFORMANCE Ensaio sobre a Retórica – Anderson do Carmo (SC)

Uma palestra. Uma performance. Uma peça. Um pedaço. Um destroço. Um dejeto. Um desejo. Ensaio sobre a Retórica é o resultado de uma residência realizada no Memorial Meyer Filho em 2016. É uma coleção de gestos, um inventário de sons, uma lista de imagens que pretende encontrar, alargar e habitar o espaço quase invisível que existe entre as palavras e as coisas. Em que momento os significados se grudam nos sons? Em que lugar as letras se juntam aos sentidos? Corpofalante. E quem não sabe que pode falar? E quem jamais foi escutado? E quem não consegue se fazer entender? E quem acha que está sendo claro? E quem está silenciado? O que sai para fora de uma boca bem fechada e se aloja em um ouvido bem aberto? Este corpo quer escutar o que outros corpos têm a dizer. Este corpo vai continuar falando mesmo sem ser compreendido. Este corpo não sairá daqui até conseguir conversar.

Duração: 30 minutos
Indicação: 16 anos
Essa performance foi desenvolvida em residência no Memorial Meyer Filho.

25 de maio, 20h, Teatro Sesc Prainha
VIDEOPALESTRA Dança em construção – Inês Bogéa (SP)

O vídeo é um espaço de continuação da dança. Ele é feito através das imagens, da memória e dos depoimentos daqueles que compartilharam uma época e conviveram com grandes mestres. É sobretudo uma experiência de encontros, aberta a distintos olhares, na tentativa de captar uma realidade artística. O videodocumentário procura refazer uma trajetória que existiu e que hoje é viva na memória, nas imagens e nos corpos de quem viveu e conviveu num determinado momento. Esta palestra trata das diferentes etapas da realização de um videodocumentário: pesquisa, concepção, direção, edição e finalização. A questão dos direitos autorais na dança também é abordada.
Palestra ilustrada com vídeos.

Duração: 120 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

26 e 27 de maio, 20h, Teatro Sesc Prainha
ESPETÁCULO Experiência 4 – Key Sawao (SP)

Experiência 4 dá continuidade aos Estudos de Movimento (1, 2 e 3), nos quais a artista faz um mergulho próprio, paralelo às criações que desenvolve junto ao núcleo Key Zetta e Cia., que dirige em parceria com Ricardo Iazzetta. Hoje, a experiência ocorre a partir da mistura de camadas nas quais diferentes tempos-espaços-pensamentos-gestos surgem como atravessamentos e criam dança. “Não dançar sobre a coisa, a coisa é a dança.” Para este encontro a artista Key Sawao convida Hedra Rockenbach.

Direção e dança: Key Sawao
Música: Hedra Rockenbach
Pesquisa: Key Zetta e Cia.
Colaboração artística: Ricardo Iazzetta
Espaço cênico e coordenação de arte: Hideki Matsuka
Luz: Hideki Matsuka e Calu Zabel
Videoclipe: Henrique Cartaxo
Fotos: Julia Monteiro, Karin Serafin
Produção: Núcleo Corpo Rastreado
Duração: aproximada 35 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

27 de maio, 16h, Parque Jardim Botânico
ESPETÁCULO Convite ao Olhar – Cia. de Dança Lápis de Seda (SC)

Convite ao Olhar, montagem de 2014, da Cia. de Dança Lápis de Seda, parte de elementos do cotidiano dos bailarinos e de como cada indivíduo reage a diferentes situações, passa pela valorização da singularidade humana. No peculiar de cada um dos bailarinos está a potência da proposta. Pretende-se desconstruir conceitos engessados com relação à deficiência, mostrar todos, sem distinção, como pessoas tão somente com limitações e capacidades variadas. Leveza, bom-humor e fuga de ideias preconcebidas marcam o espetáculo.

Direção geral, coreógrafa: Ana Luiza Ciscato
Direção artístico-musical e intérprete: Cláudia Passos
Direção musical, compositor e arranjador: Luiz Gustavo Zago
Coordenação geral: Arte Movimenta
Produção executiva: Neiva Ortega
Bailarinos: Ana Flavia Piovezzana do Santos, Aroldo Gaspar, Deivid Velho, Fabiana Cristina Marques, Gabriel Figueira, João Paulo Marques, Maura Marques, Paulo Soares, Ramon Noro, Roberta Oliveira e Silvia Gevaerd (estagiária)
Técnico de som e luz: Juarez Mendonça Jr.
Figurino: Emmanuel Boehing
Fotografia e vídeo: Cristiano Prim
Projeto gráfico: Ramon Noro
Assessoria de imprensa: Néri Pedroso
Duração: 45 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

DIÁLOGOS

22 de maio, 15h, Floripa Shopping
(andar L2, Sala 231, ao lado do Magazine Luiza)
Néri Pedroso entrevista Cristiano Prim

Durante todo o período de realização do Múltipla Dança, a exposição O Fotógrafo também Dança permanecerá em exibição no Floripa Shopping. Neste diálogo exclusivo, a jornalista Néri Pedroso, profissional reconhecida por sua atuação no campo do jornalismo cultural em Santa Catarina, entrevista o autor da exposição, o fotógrafo e artista Cristiano Prim.

23 de maio, 14h, Casarão
Dança Etc.
Convidados: Jussara Belchior, Key Sawao e Marila Velloso

O diálogo tem como ponto de partida a definição de "artista-etc.", de Ricardo Basbaum: "Quando um artista é artista em tempo integral, nós o chamaremos de 'artista-artista'; quando o artista questiona a natureza e a função de seu papel como artista, escreveremos 'artista-etc.' (de modo que poderemos imaginar diversas categorias: artista-curador, artista-escritor, artista-ativista, artista-produtor, artista-agenciador, artista-teórico, artista-terapeuta, artista-professor, artista-químico etc.).”
O que é dançar hoje? Trataremos das possíveis conexões entre dança e vida - tendo em conta sua complexidade, as responsabilidades que arrasta e, ainda, a riqueza das diferenças que contém.

25 de maio, 10h, Casarão
Pré-conferência da Setorial de Dança de Florianópolis

Encontro dos profissionais de dança com a presença de integrantes do Conselho Municipal de Políticas Culturais de Florianópolis.

25 de maio, 14h, Casarão
Economia Solidária
Convidados: Ana Alonso, Mariana Pimentel e Rodolfo Lorandi

A economia solidária compreende variadas práticas organizadas sob a forma de autogestão, âmbito em que não existe patrão nem empregado, pois todos que integram o empreendimento são, ao mesmo tempo, trabalhadores e donos. Tem uma finalidade multidimensional: extensão econômica, social, política, ecológica e cultural. Neste sentido, a visão econômica de geração de trabalho e renda busca a construção de um ambiente socialmente mais justo e sustentável. A economia solidária reafirma a emergência de protagonistas, ou seja, sublinha aqueles que trabalham como sujeitos históricos.
A ideia do diálogo é olharmos para modos exemplares de economia solidária e pensarmos possibilidades de cooperação no campo da dança e artes.

25 de maio, 16h, Casarão
Pré-conferência da Setorial de Dança de Florianópolis

Eleição dos novos representantes da Setorial de Dança e encaminhamentos de demandas do setor para a Conferência Municipal de Cultura de Florianópolis, prevista para agosto de 2017.

Diálogos: encontro, conversa, reflexão - uma prática que se repete ano após ano

LANÇAMENTOS

24 de maio, 20h, Fundação Cultural Badesc
Livro Rumor

RUMOR
Rumor é um livro documento/ficção. Uma tradução realizada pelo artista Pedro Franz junto ao Grupo Cena 11 Cia. de Dança, ao acessar o material compilado de registros e anotações que os dez integrantes do grupo reuniram nos 15 dias de experiência da etapa Solilóquio do projeto Protocolo Elefante. Nesta etapa, cada integrante do Cena 11 migrou para isolamentos diferentes para uma conversa consigo mesmo. Um êxodo feito de um, algo que estimulou uma autoinvestigação e uma modificação de si mesmo por meio de um dispositivo de imersão solitária que trouxe à superfície os vestígios do existir em grupo. O livro mistura texto, desenho e quadrinhos. Nele, Franz elabora diferentes traduções para os relatos, registros e anotações de cada integrante. Como um murmúrio produzido por uma multidão em movimento, em Rumor, as diversas vozes se reúnem numa voz coletiva. O livro foi realizado através do Rumos Itaú Cultural e Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna/2014.

27 de maio, 21h, Ponta do Coral
Videoarte Coral da Ponta

CORAL DA PONTA
Videoarte realizado por Alan Langdon a partir da composição urbana Dança Coral, concebida em 2016 por Diana Gilardenghi, Milene Duenha, Paloma Bianchi e Sandra Meyer para o projeto Corpo, Tempo e Movimento. Coral da Ponta amplifica o que as câmeras captaram da proposta de dança, potencializando-a numa perspectiva imagética estético-emocional.

Ano 2017
Formato Digital 1080p
Direção e fotografia: Alan Langdon
Câmeras adicionais: Edison Puente, J.R. Mamigonian e Marco Martins
Montagem e pós-produção: Alan Langdon
Artistas em cena: Diana Gilardenghi e Sandra Meyer
Articuladoras de composição: Milene Duenha e Paloma Bianchi
Trilha sonora original Coral da Ponta: Diogo de Haro
Trilha sonora incidental: Fábio Mello
Edição de som: Alan Langdon
Figurino: Alice Assal
Consultoria sonora: Hedra Rockenbach
Assessoria de imprensa: Néri Pedroso
Fotografia still: Pedro Alípio Nunes
Design gráfico: Teresa Siewerdt
Produção executiva: Gabriel Campos
Interlocutora convidada: Luana Raiter
Músico: Fábio Mello
Bailarino: Maicon Floripa
Barqueiro: Olice Teotônio Carpes
Duração: 13 minutos
Indicação: Livre para todos os públicos

MOSTRA DE VÍDEOS

22 e 23 de maio, 19h, Fundação Cultural Badesc
Mostra de Vídeodança - Parceria com o dança em foco – festival internacional de vídeo & dança

10° Múltipla Dança - Festival Internacional de Dança Contemporânea com programação gratuita

Categorias: Maio 2017
Deixe seu comentário!
comentários







Cinema Gratuito
Exposições


Inscrições abertas
até 17 Agosto 2017 2º Encontro de Saberes: Diálogos, Desafios... >> Cinema Gratuito
até 17 Agosto 2017 Inscrições para curso gratuito de Gnosis -... >> Educação / Cursos
até 19 Agosto 2017 Curso Cultivo de Orquídeas para iniciantes... >> Educação / Cursos
até 19 Agosto 2017 Tour Gratuito Côza Nossa - Coqueiros Histó... >> Especiais / Outros
até 21 Agosto 2017 Projeto Museus Virtuais terá 22 sessões gr... >> Exposições
até 21 Agosto 2017 Inscrições para cursos gratuitos de flauta... >> Música
Curta nossa Fan-page
Siga-nos no Twitter
Buscar