FaceBook Twitter Google+
Início » Arquivo » Eventos de Maio 2017
Biblioteca Pública comemora aniversário com exposição e debate sobre literatura



Quando: 31 Maio 2017, Quarta-feira, às 17 horas
Onde: Biblioteca Pública de Santa Catarina
Endereço: Rua Tenente Silveira, 343 - Centro
Quanto: Gratuito

Em maio, a Biblioteca Pública de Santa Catarina, espaço administrado pela Fundação Catarinense de Cultura no centro de Florianópolis, comemora seu aniversário de 163 anos de criação. Para marcar a data, a BPSC recebe o evento Literatura em Debate e a exposição do jornal O Correio do Povo, de Jaraguá do Sul, ambos com entrada gratuita.

No dia de seu aniversário, 31 de maio, às 17h, a Biblioteca Pública de Santa Catarina será palco do debate com os escritores Amílcar Neves, Carlos Menezes, Fábio Brüggemann, Marco Vasques e Paulo Clóvis Schmitz. A participação é gratuita e deve ser confirmada mediante inscrição on-line no link bit.ly/literaturaemdebate

Já a exposição itinerante Viajante do Tempo, promovida pelo jornal O Correio do Povo, de Jaraguá do Sul, segue aberta à visitação até 20 de junho no hall da BPSC. Com pesquisa das historiadoras Silvia Toassi Kita e Ellen Annusech Bona a mostra reúne anúncios publicitários veiculados durante os primeiros 50 anos do periódico (1919-1969), e organizados sobre quatro eixos temáticos: Propaganda é a alma do negócio, Lazer e Sociabilidade, Aparência e Saúde e Produção e Consumo.

Por meio destes eixos, o visitante poderá entender as mudanças políticas, sociais, econômicas e culturais que acompanharam o desenvolvimento da cidade de Jaraguá do Sul, tais como as negociações e transações imobiliárias, aluguel de animais (mulas e cavalos), os anúncios de empregos, a circulação nos bares, cinemas, cafés, os anúncios de remédios e aquisição de produtos (como bebidas, chapéus, tecidos e bicicletas). Além de anúncios publicitários impressos na Língua Portuguesa, o público visualizará anúncios na Língua Germânica, pois o jornal era editado nos dois idiomas durante as décadas de 1920 e 1930.

O periódico O Correio do Povo completou 98 anos de circulação no dia 10 de maio de 2017, sendo considerado o jornal mais antigo em atividade em Santa Catarina. A digitalização de toda a coleção do jornal já foi iniciada por meio da Hemeroteca Digital da BPSC, sendo que o primeiro lote envolvendo os anos de 1919 a 1940 será entregue em junho. Todas as edições serão colocadas à disposição de todo o público por meio da plataforma do projeto, disponível no endereço hemeroteca.ciasc.sc.gov.br

Histórico

A Biblioteca Pública de Santa Catarina foi criada em 1854, quando o então presidente da província, João José Coutinho, sancionou a Lei nº 373, em 31 de maio, mas somente em 9 de Janeiro de 1855 é que foi oficialmente inaugurada.Com base na sua data de criação, é possível supor que seja uma das bibliotecas mais antigas do Brasil.

Operando no prédio atual desde 1979, a biblioteca conta, atualmente, com um acervo formado por títulos de diversas áreas do conhecimento, em suportes variados, além de uma coleção de periódicos e uma de obras raras. Sua missão consiste em manter, conservar e disponibilizar parte da memória cultural do Estado para a população catarinense e promover o hábito da leitura junto a ela.

Sobre os escritores participantes:

AMILCAR NEVES

Nascido em 1947 na cidade de Tubarão, onde fez toda a formação escolar até entrar na faculdade, na Capital, a formação política no movimento estudantil secundarista (presidente da UET em 1 de abril de 1964) e a formação literária, com bastante leitura e a publicação de crônicas semanais distintas em dois programas de rádio. Graduou-se em Engenharia Mecânica na UFSC. Mais tarde, surgem crônicas semanais em O Estado (1978 a 1980), publicação de contos em jornais e revistas, o primeiro livro em 1979 e premiações em concursos literários.

Hoje, já foram centenas de crônicas publicadas nas páginas do Diário Catarinense, de 2004 a 2014, e Revista do Avaí), e participação em mais de 20 coletâneas, alguns prêmios nacionais e no exterior, oito livros publicados, todos de ficção, e um processo judicial que retirou do mercado um desses livros, iniciando experiências com a edição de livros eletrônicos. Integra o Conselho Estadual de Cultura em fim de mandato e a Academia Catarinense de Letras (Cadeira 32) em caráter vitalício.

MARCO VASQUES

Poeta, contista e crítico de teatro. Formado em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Catarina. Mestre e doutorando em teatro pelo Programa de Pós-Graduação em Teatro da Universidade Estadual de Santa Catarina - UDESC. É editor, com Rubens da Cunha, do Caixa de Pont[o] - jornal brasileiro de teatro e membro da International Association of Theatre Critics. colaborador de inúmeras revistas especializadas em teatro e literatura.

É também editor do Ô Catarina!, jornal de cultura e arte da Fundação Catarinense de Cultura. Tem mais de 10 livros publicados, dentre eles a chamada Trilogia das Ruínas composta pelos livros de poemas Elegias Urbanas (Bem-te-vi, Rio de Janeiro, 2015), Flauta sem Boca (Letras Contemporâneas, Florianópolis, 2010) e Anatomia da Pedra & Tsunamis (Redoma Editora, 2014, Florianópolis). Também, pela Letras Contemporâneas, publicou o livro Moradas de Orfeu, antologia poética que reúne 59 poetas contemporâneos nascidos ou residentes no Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

CARLOS HOLBEIN ANTUNES DE MENEZES

Nascido no Ceará, foi morar no Rio de Janeiro quando tinha apenas cinco anos. Formou-se em Química e deu início a longa carreira no magistério. Após a aposentadoria, Carlos passou a dedicar seu tempo à literatura, que junto com cinema e o jazz são sua maior fonte de cultura e entretenimento. É autor do livro de crônicas, intitulado “Jazz, Cinema & Utopia” - DIOESC, 152 páginas - e foi o primeiro escritor contemplado no programa Cem Cópias Sem Custo. A obra traz textos sobre filmes e discos de jazz, nos quais Carlos conta uma determinada história e os filmes ou discos aparecem como pano de fundo. Segundo Carlos, a inspiração veio da experiência como editor de uma revista voltada para o segmento de áudio e vídeo. “Lá, comecei a escrever os primeiros artigos sobre cinema e sobre jazz”, lembra. No livro, o leitor é convidado a refletir acerca de temas comuns ao dia a dia de jovens e adultos. “Não há como separar o cotidiano dos textos, afinal, é o cotidiano que alavanca as emoções e são elas que impulsionam os textos, para todos os lados”, destaca Carlos.

A familiaridade do autor com os universos literário e musical não é por acaso. Afinal, as influências da mãe (artista plástica), do pai (musicólogo) e do tio (escritor) foram fundamentais para sua formação cultural. “Tive a sorte grande de conviver com criaturas maravilhosas, que deixaram marcas profundas em mim, fazendo brotar o gosto pelas artes em geral, e, em especial, pelas letras”, explicou o autor, que planeja concluir seu segundo livro, de contos, até o final de 2017.

PAULO CLÓVIS SCHMITZ

Nasceu em Quilombo (SC), em 1957. Tem graduação em Letras/Português pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e é jornalista desde 1977, com ampla atuação na imprensa catarinense. Em 38 anos de carreira, trabalhou nos jornais “O Estado”, “Diário Catarinense”, “Indústria & Comércio”, “Notícias do Dia” e nas revistas “Cartaz” e “Revista do Varejo”. Ainda na ativa, é editorialista e repórter especial do jornal “Notícias do Dia”, e cronista semanal. Trabalhou em várias assessorias de imprensa, entre elas as da Secretaria de Estado do Turismo, Cultura e do Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, Shopping Center Itaguaçu, Colégio Barddal, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/SC) e Universidade Federal de Santa Catarina. Também foi professor de Comunicação Comparada no curso de Jornalismo da Unisul (Universidade do Sul de Santa Catarina), em Tubarão, nos anos de 1993 e 1994.

Numa das passagens por assessorias de imprensa de órgãos de governo, na área da cultura, foi o organizador do livro Pequena história do Teatro Álvaro de Carvalho, com reedição, revista e ampliada, desta vez com sua autoria. Em 2001, fez parte do seminário e do livro Jornalismo cultural 5 debates, ao lado de José Castello, Cremilda Medina, Anelito de Oliveira e Regina Zilberman. Entre 1999 e 2002, dividiu com os escritores Flávio José Cardozo e Fábio Brüggemann a edição do jornal “Ô Catarina!”, da Fundação Catarinense de Cultura. Em 2008, com o fotógrafo Danisio Silva, publicou o livro Mercado Público e suas histórias, a partir de pesquisa e depoimentos de antigos fornecedores, lojistas e funcionários do Mercado Público de Florianópolis. Em 2010, lançou uma cartilha acerca do Arquipélago dos Açores voltada para as escolas públicas de Florianópolis, a partir de viagem feita para as ilhas açorianas e de uma série de reportagens publicadas sobre o tema no jornal “Notícias do Dia”. Também em parceria com Danísio Silva, publicou os livros Florianópolis Vista de Cima, Florianópolis vista do mar, Mercado Público de Florianópolis e suas histórias (2ª edição), Belezas ocultas de Florianópolis, Florianópolis vista de dentro, Florianópolis 180 graus, A poética da diversidade e Florianópolis em preto e branco.

FÁBIO BRUGGEMANN

Natural de Lages, em janeiro de 1962. É escritor, editor, diretor cinematográfico, dramaturgo e roteirista. Atua como Editor na Editora Letras Contemporâneas, desde 1994. Atuou como editor e roteirista das revistas Sesinho e Ladon C, de cinema. Foi colunista do Caderno de Variedades do jornal Diário Catarinense (2003-2013) e do Jornal A Notpicia (1995-1997). Repórter do caderno de cultura, depois cronista e editor do suplemento infantil O Estadinho, do jornal O Estado. Fundador, ex-diretor e ex-presidente do Conselho editorial da editora da UNIPLAC. Dentre seus livros publicados destacam-se: Dançando na Chuva (1985), Narcisa – poemas (1988), Homem aranha, novela com Joca Wolf (1989), Trnasporte- poemas (1989), A lenda do peixe-boi, em conjunto com Danuza Meneghello (1985), Música Revisitado (1991), A Lebre dói como faca de ouvido - novela (1996), Riomadrenses-contos(1999), Trilogia da angústia - dramaturgia ( 1999), História do Comércio no centro histórico de Florianópolis (2013); Fabulário dos Ilustres desconhecidos-contos(2009).
Biblioteca Pública comemora aniversário com exposição e debate sobre literatura


Categorias: Maio 2017
Deixe seu comentário!





Cinema Gratuito
Exposições


Inscrições abertas
até 18 Fevereiro 2018 Udesc abre inscrições para curso gratuito de fundamentos da técnica violonística
até 18 Fevereiro 2018 Inscrições para curso pré-vestibular gratuito do Einstein Floripa 2018
até 18 Fevereiro 2018 Inscrições para 5,6 mil vagas em 195 cursos gratuitos de idiomas e de qualificação profissional
até 19 Fevereiro 2018 VI Encontro de Física e Astronomia da UFSC
até 19 Fevereiro 2018 Escolinha de Arte abre inscrições gratuitas de teatro, música e artes visuais no CIC
até 25 Fevereiro 2018 Inscrições para cursos gratuitos de teatro de animação, instrumentos e prática de orquestra do IFSC


Curta nossa Fan-page
Siga-nos no Twitter


Buscar