FaceBook Twitter Google+
Início » Arquivo » Eventos de Agosto 2016
13º Festival Palco Giratório tem programação gratuita por 30 dias com 33 espetáculos



Quando: de 2 a 31 de agosto
Onde: em espaços públicos, TAC, CIC, Teatro Pedro Ivo, Teatro do SESC Prainha
Quanto: Gratuito

De 2 a 31 de agosto, Florianópolis recebe o 13º Festival Palco Giratório Sesc, o maior circuito teatral do país, que traz à capital diferentes vertentes das artes cênicas do Brasil, com programação gratuita. São 33 espetáculos de teatro, dança, circo e intervenções urbanas, de 16 estados (AM, BA, CE, DF, GO, MA, MG, MT, PB, PR, RJ, RN, RS, SC, SE e SP), seis oficinas de formação e a exposição “Arena conta… – Teatro e resistência no Brasil (1965-1970)”.

Durante o evento, as 20 companhias selecionadas para a circulação nacional do Palco Giratório e grupos convidados se apresentam em diferentes locais: no Teatro do Sesc Prainha, no Teatro Pedro Ivo (Centro Administrativo do Governo), no Teatro Ademir Rosa (Centro Integrado de Cultura – CIC), no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC), e em espaços públicos. Os ingressos gratuitos são distribuídos 1 hora antes do início de cada espetáculo, no local do evento e o espaço está sujeito à lotação.

Além da Capital, a programação cultural se intensifica nas “Aldeias Palco Giratório” instaladas em Jaraguá do Sul (01 a 09/08) e Joinville (02 a 10/08). Realizadas em mais de 40 cidades em todo o país, as Aldeias são mostras locais de arte e cultura, com o objetivo de promover e incentivar as manifestações artísticas das regiões e fazer um intercâmbio entre artistas e cultura, fomentando a troca de experiências.

Reconhecido como um maiores projetos teatrais do país, o Palco Giratório Sesc é uma rede de intercâmbio e difusão das artes cênicas consolidada no cenário cultural brasileiro, com uma trajetória de 19 anos. Ao longo desse período, levou uma grande variedade de gêneros e linguagens artísticas para um público diversificado de mais de 4,5 milhões de pessoas em todo o país. Em 2016 são mais de 728 apresentações artísticas em 145 cidades brasileiras.

Com uma curadoria formada por profissionais do Sesc de todos os estados brasileiros, a programação do Palco Giratório apresenta anualmente uma amostragem importante da produção cênica brasileira, considerando suas diversas expressões. Neste ano, os curadores se reúnem em Florianópolis na semana que antecede o Festival (24 a 29/07), para o Encontro Nacional de Programação em Artes Cênicas, quando serão analisadas as indicações e definida coletivamente a programação do Palco Giratório 2017. “Esperamos que o Palco Giratório continue cumprindo seu papel de aguçar as percepções, remexer com as convicções e provocar diálogos, ampliando horizontes por meio das artes cênicas e sua capacidade transformadora”, declara Maria Teresa Piccoli, coordenadora de Cultura do Sesc em Santa Catarina e representante da Instituição na curadoria.

DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO DO FESTIVAL EM FLORIANÓPOLIS

A abertura do evento será com o espetáculo convidado “Dente de Leão”, do Grupo Espanca, de Belo Horizonte (MG), nos dias 02 e 03/08 (terça e quarta-feira), às 20h, no Teatro Pedro Ivo. A peça busca mostrar como aprendemos a representar papéis na família, na escola, no trabalho ou no palco. É também um olhar sobre a juventude, sobre a inquietação de quem ainda não se conformou com a repetição. A trama conta a história de três estudantes, seus pais e professores que se preparam para a feira de ciências da escola. Neste momento, questionam os papéis sociais que desempenhamos. Estes jovens resolvem surpreender a todos, mudando a forma de representação de si mesmos. A classificação indicativa é para 14 anos. O grupo também ministra oficina com jogos e exercícios teatrais, leituras, discussões e práticas textuais, nos dias 01 e 03/08, das 14h às 17h, no Sesc (Inscrições abertas em: https://goo.gl/a23axM).

Neste ano, a homenageada do circuito nacional é a atriz Maria Alice Vergueiro. Aos 81 anos de idade e mais de 50 de palco, ela é considerada uma das grandes referências do teatro brasileiro, com passagens também pelo cinema e televisão. Ela estará presente na peça “Why the horse?”, com o Grupo Pândega de Teatro, um happening que trata de temas como vida, morte e envelhecimento a partir de uma proposta ousada da atriz de convidar seus parceiros de grupo a ensaiar com ela o seu “derradeiro momento”. São duas apresentações no dia 05/08 (sex), às 18h30 e 21h, no Teatro Ademir Rosa (CIC). O grupo também ministra a oficina “Corpo Pândego”, no dia 04/08, no Sesc, com o objetivo de desenvolver alguns dos procedimentos de criação dramatúrgica e cênica utilizados na construção do espetáculo. Maria Alice integrou o Teatro Oficina, participou de suas montagens mais radicais (O Rei da Vela), fundou o irreverente grupo Ornitorrinco (com Cacá Rosset), interpretou as principais peças de Brecht (Mãe Coragem) e fez um extraordinário Beckett (Katastrophé, 1986), elogiado por críticos do porte de Alfredo Mesquita (1907-1986), que classificou sua atuação na peça de “espantosa”. Em 2006, ela ganhou destaque após o vídeo “Tapa Na Pantera” ter mais de seis milhões de visualizações no YouTube.

A programação do Festival Palco Giratório está bastante diversa, contemplando diferentes linguagens. O Grupo Teatro Carmim, de Natal (RN), apresenta o espetáculo de dança “Jacy”, no dia 10/08, 20h, no TAC, com tradução em libras e audiodescrição, haverá também um bate-papo sobre acessibilidade em espetáculo teatrais, das 14h30 às 16h30, no Sesc. Tem palhaçaria com o grupo Barracão Teatro, de Campinas (SP), que apresenta em “Romeu e Julieta” em 13/08, 20h, no TAC, releituras clown de obras de Shakespeare. A comédia dramática “Cachorros não sabem blefar”, da companhia mineira 5 Cabeças, aborda questões de intolerâncias presentes na sociedade no dia 14/08, às 20h, no TAC. O espetáculo de teatro de animação “A Gigantea”, da Cia Les Trois Cles Brasil, companhia franco-brasileira, sediada no Rio de Janeiro, vai encantar o público no dia 24/08, às 20h, no Teatro Pedro Ivo, com uma dramaturgia que utiliza, além de palavras e diálogos, marionetes, músicas e técnicas de iluminação e de circo. Premiada e reconhecida pelas peças infantis, a Nau de Ícaros, de São Paulo, apresenta no dia 28/08, às 20h, no Teatro Ademir Rosa (CIC), o espetáculo aéreo “A.N.J.O.S” (foto), que mistura sonho e realidade, o fantástico e o real, vida e morte, nas transformações presentes no universo da criança, utilizando os aparelhos circenses para criar a suspensão do tempo e do espaço.

Além dos selecionados para a circulação nacional, o Festival abraça grupos e artistas locais. O Teatro em Trâmite, por exemplo, encena três espetáculos ao longo do evento: “Discursos Paralelos”, “História Horripilante” e “A Luva e a Pedra” (foto). A atriz Paula Bittencourt apresenta a intervenção “Coisas que fazem o coração correr mais rápido”, e Elke Siedler, um dos principais nomes da dança contemporânea em Santa Catarina, apresenta o espetáculo “Rec(L)usadax”.

Exposição Arena ContaDurante o evento, entra em cartaz a exposição “Arena conta…- Teatro e resistência no Brasil (1965-1970)”, realizada pelo Departamento Nacional do Sesc em parceria com o Instituto Augusto Boal. A abertura será no dia 10/08, às 18h30, na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti, com visitação até 26/08. A mostra apresenta a trajetória de um dos mais conceituados grupos teatrais brasileiros, o Teatro de Arena, fundado em 1953, em São Paulo, relembrando a importância do seu engajamento artístico e político no país. A exposição conta com sete painéis, repletos de fotografias de artistas, autores e elenco técnico em ação durante os espetáculos “Arena conta Zumbi”, “Arena conta Tiradentes” e “Arena conta Bolívar”, todas as três peças dirigidas por Augusto Boal. Essas montagens registram um espaço alternativo para a cena cultural do país no período da ditadura militar, conciliando a criatividade dramatúrgica com a abordagem de temas eminentemente nacionais. Três músicas originais desses espetáculos foram recuperadas e acompanham a exposição, além de vídeos e fotos dos acervos do Instituto Augusto Boal e da Funarte.

Oficinas gratuitas com inscrições abertas

Na programação formativa, o Festival Palco Giratório em Florianópolis traz seis oficinas gratuitas no Sesc. Com o Grupo Espanca, nos dias 02 e 03/08; a Oficina “O Corpo Pândego”, com o Grupo Pândega de Teatro, no dia 04/08; “O Jogo do Palhaço – Técnica”, com Grupo Trampulim (MG) no dia 06/08; “Da cidade à cena: texto, vídeo e atuação a partir de elementos do real”, com o Grupo Teatro Carmin (RN); “O ator, o objeto e o boneco na cena contemporânea” é o tema da oficina da Cia Les Trois Cles Brasil (RJ), no dia 23/08; para completar, a Cia. Pão Doce de Teatro (RN) ministra Oficina “Musicalização para atores e não-atores” no dia 28/08. As inscrições são gratuitas e estão abertas na central Relacionamento com Clientes do Sesc em Florianópolis (Prainha). As vagas são limitadas.

ENDEREÇOS FLORIANÓPOLIS
Teatro Ademir Rosa / Centro Integrado de Cultura (CIC): Av. Governador Irineu Bornhausen 5600, Agronômica
Teatro Álvaro de Carvalho (TAC): Rua Marechal Guilherme, 26, Centro
Teatro Pedro Ivo / Centro Administrativo do Governo: Rodovia SC 401, Km 5, n° 4600, Saco Grande
Teatro Sesc Prainha / Sesc em Florianópolis (Prainha): Travessa Syriaco Atherino, 100, Centro

PROGRAMAÇÃO COMPLETA FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO 2016

02 e 03/08 (ter e qua), às 20h, no Teatro Pedro Ivo:
Espetáculo “Dente de leão”, Grupo Espanca (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: Um grupo de alunos troca ideias sobre suas vidas e projeta o futuro enquanto mata aulas no auditório do colégio. No final do ano, pais e professores se juntam aos estudantes na esperada Feira de Ciências. Insatisfeitos com seus destinos, os adolescentes preparam uma apresentação capaz de questionar as imagens que representam e abalar as instituições que os rodeiam.
Classificação indicativa: 14 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro Adulto

03/08 (qua), às 18h, no Largo da Catedral, Centro:
Espetáculo “Flor de Macambira”, Coletivo Ser Tão Teatro (PB)
Sinopse: Flor de Macambira é uma festa popular com música, comicidade, cor e teatralidade que conta a história da jovem Catirina, a mais bela flor da Fazenda Macambira, que sucumbe aos vícios e tentações mundanas e, para salvar-se a si e a seu amado, mergulha nas profundezas de sua alma.
Classificação: Livre / Duração: 58 minutos / Categoria: Espetáculo de Rua

04 e 05/08 (qui e sex), às 15h, no Largo da Catedral, Centro:
Espetáculo “A Carroça é nossa”, Grupo Xama Teatro (São Luis/MA)
Sinopse: Tudo começa com um sonho de Pedoca (Lauande Aires), em que vê a si próprio em uma carroça puxada por um burro. Ao despertar, encontra a carroça, mas não o animal que pudesse puxá-la. Em sua busca pelo burro, encontra Toinha (Gisele Vasconcelos), que sonha por um amor verdadeiro; Joaninha (Cris Campos), que anseia por proteção e Cecé (Renata Figueiredo), cujo sonho é encontrar sua família. Durante a busca, percebem que precisam desvendar um enigma que envolve não só a carroça como os seus destinos.
Classificação: Livre / Duração: 70 minutos / Categoria: Espetáculo de Rua

05/08 (sex), às 18h30 e 21h, no Teatro Ademir Rosa (CIC):
Espetáculo “Why The Horse?” Grupo Pândega de Teatro (São Paulo/SP)
Sinopse: O espetáculo surge de um pedido feito pela diretora artística do Grupo Pândega de Teatro, Maria Alice Vergueiro, aos seus integrantes: morrer em cena. Instigada pelo tema da morte e reconhecendo seu próprio e natural receio diante do fim, bem como a força artística que envolve, a atriz convocou seus parceiros de grupo para a criação de um espetáculo em que pudesse ensaiar seu derradeiro momento. Aos 80 anos e mais de 50 de palco, Maria Alice não pensa em parar. Em suas palavras, sempre um pouco irreverentes: “com sorte pode ser que eu morra em cena. Se não, estaremos de volta no dia seguinte”.
Classificação: 16 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro Adulto

06/08 (sáb), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “Real”, Grupo Espanca (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: Um linchamento, um atropelamento, um movimento grevista e uma chacina policial. “Real”, a mais nova criação do grupo Espanca reúne quatro peças curtas, inspiradas em acontecimentos reais que pertencem à memória recente das cidades brasileiras.
Classificação: 16 anos / Duração: 120 minutos / Categoria: Teatro Adulto

07/08 (dom), às 15h, no ginásio do Sesc Prainha – Centro de Florianópolis:
Espetáculo “Manotas Musicais”, Grupo Trampulim (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: “Manotas Musicais” usa a música como ferramenta de jogo para o palhaço. Com um repertório eclético, jogos musicais e gags tradicionais de palhaço, o espetáculo é uma jornada recheada de humor, diversão e muitas surpresas.
Classificação: Livre / Duração: 75 minutos / Categoria: Circo, Rua

09/08 (ter), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo de dança “A Projetista”, Dudude (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: Em um projeto não existe nada além de um enorme espaço vazio a ser ocupado, sua nutrição é a vontade, o desejo de existir, de voar. A Projetista transita por terrenos áridos, secos, desnutridos, muito rasos. Todos repletos e plenos de possibilidades de construção, onde só a imaginação alcança. Ela se utiliza do nada para preencher o vazio do mundo. Projeta-se no espaço um pouco mais a frente…
Classificação: 12 anos / Duração: 70 minutos / Categoria: Dança

10/08 (qua), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC):
Espetáculo de dança “Jacy”, Grupo Teatro Carmin (Natal/RN).
Obs1. Com tradução em libras e audiodescrição.
Obs2: Haverá também um bate-papo sobre acessibilidade em espetáculos teatrais, das 14h30 às 16h30, no Sesc
Sinopse: Uma frasqueira encontrada no lixo contendo vestígios de vida de uma mulher de 90 anos. Este fato real levou o grupo Carmin a conduzir uma investigação que durou três anos e que, em agosto de 2013, resultou na peça de teatro documental intitulada: JACY. Durante 1 hora de espetáculo, o grupo revela todo o processo dessa investigação e convida a plateia para acompanhar a vida de uma mulher comum que atravessou a 2ª Guerra mundial e a ditadura no Brasil, esteve no centro de um importante conflito da política no RN, viveu um amor estrangeiro e terminou os seus dias sozinha em Natal. Com textos dos filósofos Pablo Capistrano e Iracema Macedo, Jacy é uma peça cômico-trágica que revela fatos sobre o abandono dos idosos, a política e o crescimento desenfreados das cidades que, por muitas vezes, ignoramos.
Classificação: 12 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Dança

10/08 (qua), às 18h30, na Galeria Municipal de Arte Pedro Paulo Vecchietti:
Abertura da Exposição “Arena conta…- Teatro e resistência no Brasil (1965-1970)”.
A companhia de Teatro de Arena e o trabalho do dramaturgo Augusto Boal são temas da mostra “Arena Conta… Teatro e Resistência no Brasil (1965-1970)”, uma realização do Sesc em parceria com o Instituto Augusto Boal. A exposição relembra a importância da trajetória do Teatro de Arena, sua militância e engajamentos político e artístico no Brasil. São 07 painéis que revelam a história do Teatro de Arena, repletos de fotografias de artistas, autores e elenco técnico em ação durante os espetáculos Arena conta Zumbi, Arena conta Tiradentes, e Arena conta Bolivar.
Visitação: 11 a 26 (seg a sex), 13h às 19h.
Agendamento de turmas para visitação: (48) 3229 2208

11/08 (qui), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “Pequenas Violências – silenciosas e cotidianas”, Cia. Teatro di Stravaganza (RS)
Sinopse: O mote da peça parte de um fato corriqueiro e aparentemente sem maior gravidade: um atropelamento no qual não há vitimas fatais. A partir do olhar de diferentes testemunhas desse acidente a trama evolui como um quebra cabeça e acaba revelando que, por trás desse acontecimento ‘banal’ – algo mais terrível está para ocorrer. A peça traz uma encenação inovadora, realizada inteiramente com a luz de lanternas manipuladas pelos próprios atores. O texto foi vencedor do Prêmio de Dramaturgia Ivo Bender (2011) da Prefeitura de Porto Alegre e do Instituto Goethe. A montagem recebeu o Prêmio Açorianos (SMC-PoA) de Melhor Dramaturgia e os Prêmios Braskem de Melhor Espetáculo e Melhor ator de 2014.
Classificação: 14 anos / Duração: 55 minutos / Categoria: Teatro adulto

12/08 (sex), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “WWW Para Freedom”, Barracão Teatro (Campinas/SP)
Sinopse: Espetáculo de palhaço sobre a guerra para ser livre. WWW para Freedom é um código de operação militar. Soldados são mandados para libertar um povo de um terrível ditador. Mas um soldado, na hora de bombardear o alvo, questiona para que serve tudo aquilo e faz uma operação, não militar, em nome da liberdade na qual acredita. De que liberdade estamos falando? Livrar-se de quem? Livrar-se de que? É preciso a guerra para estar em paz?
Classificação: 12 anos / Duração: 70 minutos / Categoria: Circo

13/08 (sáb), às 13h, em frente ao Teatro Álvaro de Carvalho: Foto dos Pare(s)ntes
Bodas de Cristal – Registro/Memória/Cartografia/Monumento/Presentificação/Foto de família
Somos todos pare(s)ntes/Reconhecemo-nos como parentes, tal qual etnias indígenas
Sinopse: Convocamos todos os grupos de teatro de Florianópolis, quiçá de todo o estado de SC, para registrarmos em uma Foto dos pare(s)ntes nossa memória, história e presença. Uma imagem onde nos reconheceremos pertencentes a um mesmo grande grupo que tem o mesmo ofício – grupos de teatro. A força de todo o coletivo reside nas reuniões, abaixo assinados, manifestos, apresentações etc., mas também pode residir em uma foto. Uma foto que celebrará os anos de todos os grupos presentes, do mais jovem ao mais velho, nos fazendo existentes e potentes para as próximas lutas e para os próximos anos de sobrevivência e trabalho. Traço, Persona e ERRO Grupo celebram 15 anos em 2016 com o projeto Bodas de Cristal do Sesc em Florianópolis (Prainha). Como ato de encerramento deste projeto e também de continuidade da atividade de teatro de grupo, convocamos todos os grupos de teatro para uma Foto dos pare(s)ntes. Queremos registrar e celebrar não só nossos 15 anos, mas também o tempo de atividade de nossos pare(s)ntes. Caso não seja possível comparecer pessoalmente para a foto, faremos menção de todos os pare(s)ntes que se manifestarem. Caso desejem fazer uma foto em sua cidade, reunindo os pare(s)ntes da região, encorajamos a ação, para que mais Fotos dos pare(s)ntes sejam realizadas. Bodas dos pare(s)ntes – 15 anos em grupo é um ato de resistência, venha celebrar conosco!

13/08 (sáb), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC):
Espetáculo “A Julieta e o Romeu”, Barracão Teatro (Campinas/SP)
Sinopse: A renomada atriz Mafalda Mafalda e seu estagiário apresentam seu repertório de cenas do famoso William Shakespeare. Os dois palhaços mostram o quanto são deliciosamente inseparáveis em suas interpretações nada convencionais de Otelo, Macbeth, Desdêmona, entre outros.
Classificação: 12 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Circo

14/08 (dom), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC):
Espetáculo “Cachorros não sabem blefar”, Cia. 5 Cabeças (MG)
Sinopse: Caio sempre olha para seu relógio que insiste em marcar o mesmo horário: 9 e 15. O problema não são as pilhas. Provavelmente está quebrado. Ou então cansou-se. O que seria lastimável para um relógio. Adamastor odeia o nome Caio. Cristina não quer morrer virgem e odeia Caio, seu namorado. Caio, que não é o namorado de Cristina, apresenta-se para as pessoas com o nome de Adamastor, pois sabe que assim são capazes de suportá-lo. Adamastor acredita que tartarugas são perigosíssimas. Certa vez perdeu toda sua fortuna para um jabuti. Verônica nunca sabe se está ou se não está nua. Já perdeu vários empregos por causa disso. Alguns porque estava nua. Outros porque estava vestida. Berenice procura seu cachorro. Ele está sozinho em casa e não sabe abrir pacotes de ração e nem a geladeira. E um detalhe importante: ele não late. De jeito nenhum. Talvez não exista. Não existem cães que não saibam latir. E tartarugas que não saibam blefar. Por isso são excelentes parceiras de pôquer. Já os cachorros não. Cachorros não sabem blefar.
Classificação: 12 anos / Duração: 55 minutos / Categoria: Teatro Adulto

16/08 (ter), 10h e 15h, no Teatro Sesc Prainha:
Baú de história / Espetáculo de contação de histórias “Evaristo, a Cutia”, Pochyua Andrade (Blumenau/SC)
Sinopse: Evaristo é uma cutia que vive na mata ciliar de uma cidade com um acelerado ritmo de crescimento urbano. Interagindo com a natureza e com as modernidades do homem, Evaristo vai tentando aprender e ensinar a viver de maneira harmoniosa. Classificação: Livre

17/08 (qua), às 15h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “O Rato”, Cia. Pivete de Arte (Curitiba/PR)
Sinopse: Em um prédio antigo da cidade de Curitiba, um bebê e um rato compartilham uma barra de chocolate. Uma trama tecida no confronto entre o grotesco e o sublime, representados na relação entre o rato e o bebê. A narrativa remete a lógica dos contos de fadas clássicos, com seus personagens assustadores de um lado, e do outro a virtude representada pela vulnerabilidade a ser superada. A peça inverte o sentido óbvio da moral das fábulas para que o espectador não tenha compaixão, mas compreenda o sentido e a necessidade da tolerância. O roteiro é inspirado em uma situação corriqueira e complexa no mundo contemporâneo: crianças em situação de perigo por descuido de seus pais.
Classificação: Livre / Duração: 40 minutos / Categoria: Teatro de Animação

17/08 (qua), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC):
Espetáculo “Pois é, Vizinha”, Companhia de Solos & Bem Acompanhados (Porto Alegre/RS)
Sinopse: Adaptação de Deborah Finocchiaro do texto “Una Donna Sola”, de Franca Rame e Dario Fo (Prêmio Nobel de literatura 1997), conta a história de Maria, uma dona de casa trancafiada em casa pelo marido “gauchão”, que é obrigada a suportar o cunhado semi-paralítico e tarado, o “voyeur” do prédio vizinho, o tarado do telefone e o apaixonado rapaz que é professor de inglês. Um dia se depara com uma vizinha do prédio em frente e desabafa. Aos poucos, o simples cotidiano revela-se patético.
Classificação: 12 anos / Duração: 70 minutos / Categoria: Comédia

18/08 (qui), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC):
Espetáculo de Dança “Dúplice”, Rodrigo Cruz e Rodrigo Cunha (Goiânia/GO)
Sinopse: A cena bruta, a lida, a luta. Do encontro de um bailarino-ator com um ator-bailarino surgem dois mercadores vendendo a mesma cena, dois artistas cênicos representando uma mesma mercadoria, dois pólos antagônicos e interdependentes. Com parco aparato tecnológico, a trama se desvela sustentada pela cumplicidade e o diálogo corporal, num jogo físico e rítmico, cênico e sonoro, alternando sons e silêncios, movimentos e pausas, ininterruptamente. Duas pessoas distintas, dois únicos. Frente a frente, lado a lado, ora duo ora duelo. Um e outro, você e outro você, você e você mesmo. Dobrado, fingido, forjado. Dúplice.
Classificação: Livre / Duração: 55 minutos / Categoria: Dança

19/08 (sex), às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC):
Espetáculo “GPS Gaza”, Companhia de Solos & Bem Acompanhados (Porto Alegre/RS)
Sinopse: A Faixa de Gaza é conhecida mundialmente, seu nome é uma referência. Mas, mesmo com a grande repercussão do que lá ocorre, não é, nem de longe, a mais expressiva história de desapossamento, sofrimento e violência contra homens, mulheres e crianças. Para além da conjuntura política, econômica e religiosa, o espetáculo GPS GAZA trata das questões humanas desse tipo de experiência. Países como Ruanda, Bangladesh, Brasil, Venezuela, Filipinas e povos como curdos, armênios, judeus, palestinos, japoneses, tibetanos, sírios, entre tantos outros, foram usados pela História afora, servindo a interesses que não incluem o respeito à pessoa e suas necessidades. Enquanto a geografia se altera anunciadamente pelos meios de comunicação, o flagelo dos envolvidos é citada em gráficos e percentuais que afastam a realidade da dor. São os muros – concretos ou metafóricos -, sempre construídos para afastar o que não se quer ver, sentir ou saber. Assim, GPS GAZA não se debruça sobre judeus e palestinos, percorre o mundo – em grandes guerras ou nos conflitos cotidianos da convivência – onde até Deus é vendido de acordo com interesses políticos e econômicos. A GPS GAZA procura a Faixa de Gaza existente nas sociedades contemporâneas e dentro de cada um, aqui e agora.
Classificação: 14 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro Adulto

19/08 (sex), às 11h, na Rua Felipe Schmidt – Centro de Florianópolis:
Intervenção urbana: “Luto”, com Maycira Leão (SE)
Sinopse: Pedalando por entre pessoas e tráfego intenso [fuligem, poluição e canos de escape: CO2] uma bicicleta branca, guiada por uma figura feminina em vestido branco, segue solitariamente enquanto o negro que brota de sua boca insiste em incomodar. A travessia é lenta e a respiração, força vital que nos faz inflar e vibrar, impulsiona o movimento que reage ao ritmo frenético de nossas grandes cidades. A ruptura aproxima singelezas que nos tornam cúmplices.

20/08 (sáb), às 11h, na Rua Felipe Schmidt, Centro de Florianópolis:
Intervenção Urbana “Experimentos Gramíneos” (SE)
Sinopse: Vestida com uma roupa construída a partir de pedaços de grama artificial, a performer desloca-se por ruas de intensa circulação de pessoas, com um regador de água, realizando um trajeto modelado pela interação com o público passante. A performance parte de uma estímulo inicial bem simples, dialogando com elementos da cultura popular e pop, e alcança espaços subjetivos inusitados, ganhando intensidade por meio do atravessamento transversal conquistado pelo contato.
Classificação: Livre / Duração: 120 minutos

20/08 (sáb), 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo de dança “Yi Ocre”, Corpo de Arte Contemporânea (Manaus/AM)
Sinopse: Yi, termo Saterê Mawe que significa Terra, a respiração dos organismos, a vibração das células, o pulso vital. “Ocre” quer dizer cor do barro resultante da oxidação de solos amazônicos. Yi Ocre é a simbiose do meio e o homem, o nosso ponto em comum, um só sistema inseparável.
Classificação: 18 anos / Duração: 40 minutos / Categoria: Teatro Adulto

21/08 (dom), às 18h, no Sesc Florianópolis (Prainha):
Espetáculo “Coisas que fazem o coração correr mais rápido”, Paula Bittencourt (Florianópolis/SC)
Sinopse: Eu e o Público colocados frente à frente. Com o objetivo de compartilharmos afetos e experiências. O público é convidado a visitar meu mundo, um de cada vez, para um breve encontro. A casa é o lugar de acolhimento, do afeto. Do encontro, lugar de afirmação e valorização do sujeito.
Classificação: 14 anos/ Categoria: Intervenção Urbana

21/08 (dom), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “Rec(L)usadax”, Elke Siedler (Florianópolis / SC)
Sinopse: Rec(L)usadax é um projeto de pesquisa que visa o entrelaçamento da dança com a performance, música e artes visuais (movimento New Gotic). O solo trata de um corpo-vestígio, dos rastros dos desejos interrompidos, das ruínas do afeto, do fracasso da fixidez, dos distanciamentos e deslocamentos de experiências para outros tempos. É o contexto das dissipações, do desmanche, do desfalecimento dos planos, do corpo reclusado em pensamento, recusado pela permanência, mas nunca recuado das relações: o movimento é gerador de história e futuro.
Classificação: 18 anos / Duração: 60 minutos

23/08 (ter), às 17h, no Centro de Florianópolis:
Espetáculo “Discursos Paralelos”, Teatro em Trâmite (Florianópolis / SC)
Sinopse: Três pessoas, três lugares, três discursos e um ponto em comum: a reflexão sobre o ser humano. Um pastor que não reza, um político que não pede votos, um artista que não quer ser aplaudido. Cada um procurando, a seu modo, um espaço para a ação humana no mundo contemporâneo. Terceiro espetáculo do projeto “Solo Fértil”, Discursos Paralelos é um espetáculo de rua fragmentado em três momentos independentes. O projeto “Solo Fértil”, do Teatro em Trâmite, une monólogos absolutamente diferentes enquanto estética e concepção. Todos os trabalhos são resultados da pesquisa do grupo sobre a formação do ator híbrido.
Classificação: Livre / Duração: 50 minutos / Categoria: Teatro de Rua

23/08 (ter), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “Diga que você está de acordo! – Máquina Fatzer”, Teatro Máquina (CE)
Sinopse: Na oportunidade de fugir da 1ª Guerra Mundial, quatro soldados alemães se veem confinados numa casa, à espera de uma possível revolução. Em meio ao conflito e às condições sigilosas de refugiados, o grupo tenta chegar a um consenso para cada decisão, em paródia à formação dos sovietes. Entre as figuras, Fatzer é o egoísta. Na encenação do Teatro Máquina, o grupo dá forma à narrativa com tensão, repetição, engajamento físico e construção/destituição de uma língua inventada. O espetáculo parte de fragmentos do Fatzer, escrito por Brecht entre 1926 e 1931.
Classificação: 18 anos / Duração: 55 minutos / Categoria: Teatro Adulto

24/08 (qua), às 15h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “História Horripilante”, Teatro em Trâmite (Florianópolis / SC)
Sinopse: Uma contação de histórias de terror para as crianças. Trabalhando com o universo do terror, o grupo brinca com o lúdico e conta a história de Igor, um corcunda mal-humorado e do seu melhor amigo: sua mão, também chamada Igor.
Classificação: 14 anos / Duração: 50 minutos / Categoria: Infantojuvenil

24/08 (qua), às 20h, no Teatro Pedro Ivo:
Espetáculo “A Gigantea”, Cia Les Trois Cles Brasil (Rio de Janeiro/RJ)
Sinopse: Em uma região desértica de um país imaginário, o menino Makou vive com sua mãe. Todos os dias ele sai à procura de água. Certa manhã Makou é sequestrado por um tirano, líder de um exército de seres híbridos (homens/bestas), que o recrutam à força e o transformam em um menino soldado. Começa, então, sua luta por sobrevivência e seu nomadismo. A inocência o abandona mas, em sonho, ele procura reconquistar a infância e reencontrar A Gigantea, a raiz que fornece água, o ouro azul.
Classificação: 10 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro de Animação

25/08 (qui), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “A Luva e a Pedra”, Teatro em Trâmite (Florianópolis / SC)
Sinopse: A Luva e a Pedra é um monólogo teatral original escrito pelo ator argentino que vive em Madrid, Quiqué Fernández. Nesta montagem, que foi dirigida e adaptada por André Francisco, ator e diretor do grupo Teatro em Trâmite, a aposta é sobre o trabalho do ator e a simplicidade da montagem. “A Luva e a Pedra” conta a história de Nelson Santos e fala da sua memória de uma época passada: o interior da França, onde viveu, seu ambiente, seus valores, anedotas sobre o que aconteceu com ele, deixando-nos conhecer uma série de personagens que influenciaram a vida do nosso protagonista. Em um momento da sua trajetória, encontramos André, que será fundamental para o futuro de Nelson e para a conclusão da sua história. A Luva e a Pedra faz uma reflexão sobre destino e liberdade, lançando mão dos questionamentos que todos nós já nos fazemos um dia: Nós escolhemos nosso futuro? Ou apenas viajamos um caminho já traçado?
Classificação: 18 anos / Duração: 50 minutos / Categoria: Teatro Adulto

26/08 (sex), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “Benedita”, Cia Sino (Salvador/BA)
Sinopse: O espetáculo traz à tona a preservação de Patrimônio Imaterial Cultural com humor e densidade quando leva o público a conhecer de perto Benedita, uma misteriosa senhora contadora de histórias. Ela carrega uma gigantesca trouxa na cabeça. Em meio aos panos que traz, existem roupas sujas de cores vivas. Benedita conta a historia dessas indumentárias especiais – peças que marcaram sua vida centenária. Sua apresentação é um ritual de passagem que passeia entre o trágico e o cômico para a construção de uma personagem genuinamente brasileira. Uma mulher-mito, contadora de histórias, lavadeira-curandeira-bruxa-feiticeira, em seu limite de vida. Com uma declarada relação com o misticismo e com o indizível ela perpassa o curandeirismo e a espiritualidade. Benedita tece destinos através dos casos que conta, relatando uma história arquetípica e mitológica.
Classificação: 12 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro Adulto

27/08 (sáb), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “Adaptação”, Teatro de Açúcar (Brasília/DF)
Sinopse: O espetáculo conta a história de personagens num momento de adaptação como meio de sobrevivência: Um diretor teatral frustrado que não consegue sair de uma crise criativa e decide mudar de profissão; Uma atriz recém-chegada à cidade grande que precisa se acostumar à solidão do novo estilo de vida; Uma transexual que adaptou seu corpo para poder seguir vivendo nele; Um dinossauro que não sabe se sobreviverá às adaptações da espécie. Todos estão unidos por um drama em comum: o medo de morrer, se transformar, deixar de existir… como se um escritor escrevesse ou adaptasse suas histórias, recriando, agregando e, o mais temível, eliminando personagens.
Classificação: 10 anos / Duração: 60 minutos / Categoria: Teatro Adulto

28/08 (dom), às 20h, no Teatro Ademir Rosa (CIC):
Espetáculo “A.N.J.O.S”, Cia Cênica Nau de Ícaros (São Paulo/SP)
Sinopse: Premiada e reconhecida pelos espetáculos infantis, a Nau de Ícaros volta a produzir um espetáculo para crianças depois de dez anos. Dessa vez, decidida a voar alto, feito “A.N.J.O.S”. A história de Nuno e seus amigos Ana, Nico, Jonas, Olivia e Suriá, a divertida “gangue” dos A.N.J.O.S. fala de perdas e da aventura que é crescer de maneira sutil e divertida. Uma jornada quarto adentro, de brincadeira em brincadeira, os personagens vão puxando histórias, remendando pensamentos, consertando medos, costurando sonhos, navegando pela imaginação.
Classificação: Livre / Duração: 60 minutos / Categoria: Infantojuvenil

29/08 (seg), às 15h, no Largo da Catedral, Centro:
Espetáculo “A Casatória c’a Defunta”, Cia. Pão Doce de Teatro (Mossoró/RN)
Sinopse: A Casatória C’a Defunta, conta de modo lúdico e divertido as peripécias de quem já partiu desta vida para uma melhor e dos que ainda respiram por esses ares. Cinco atores em “pernas-de-banco” levam a magia para as ruas a partir da história do medroso Afrânio, que está prestes a casar-se com a romântica Maria Flor, mas acidentalmente casa-se com a fantasmagórica Moça de Branco, que o conduz para o submundo. Lá, o jovem fará valorosos amigos e aprenderá uma grande lição, porém está disposto a não desistir do seu amor verdadeiro, mesmo que isto lhe custe a própria vida. O Espetáculo tem direção, cenário e figurino de Marcos Leonardo de Paula e Texto e Música originais de Romero Oliveira.
Classificação: Livre / Duração: 50 minutos / Categoria: Teatro de Rua

30/08 (ter), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “OraMortem”, In-Próprio Coletivo (Cuiabá/MT)
Sinopse: OraMortem é um momento inesperado, um delírio disparado no encontro da Velha com o Menino. Dois personagens se fragmentam em reflexos e projeções para expor aquilo que não cabe, que escapa das clausuras do espaço-tempo. A proximidade da morte como sintoma de vida. O corpo dela transborda e o espaço inundado está na iminência de derramar.
Classificação: 12 anos / Duração: 40 minutos / Categoria: Teatro Adulto

31/08 (qua), às 20h, no Teatro Sesc Prainha:
Espetáculo “A Outra Casa”, Tempo Companhia Teatral LMPR (Rio de Janeiro / RJ)
Sinopse: Juliana, uma neurologista de sucesso, tem um lapso de memória numa apresentação para uma plateia de médicos. A partir deste episódio, ela vai sendo impulsionada a rastrear sua lucidez através de embates com seu marido, sua médica, com as lembranças de sua filha e consigo mesma. A Outra Casa, texto inédito no Brasil do autor norte-americano Sharr White, é um thriller emocional que nos convida a montar um quebra-cabeça acompanhando a trajetória de aceitação e transformação de Juliana ao relembrar e assimilar os acontecimentos de seu passado. Ser sujeito da própria transformação a partir da elaboração da história pessoal é o desafio proposto à protagonista, à nossa equipe de criação e a você, nosso espectador.
Classificação: 16 anos / Duração: 90 minutos / Categoria: Teatro Adulto

OFICINAS FESTIVAL PALCO GIRATÓRIO 2016
As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pessoalmente na central Relacionamento com Clientes do Sesc em Florianópolis (Prainha), na Travessa Syriaco Atherino, 100, centro. Após a realização das oficinas, serão emitidos os certificados, mediante a presença.

01 e 03/08 (seg e quar), 14h às 17h, na Sala Multiuso do Sesc em Florianópolis (Prainha):
Oficina de teatro com o Grupo Espanca
Esta oficina parte de princípios de atuação, cênicos e dramatúrgicos utilizados nas criações dos espetáculos do grupo Espanca!. Jogos e exercícios teatrais, leituras, discussões e práticas textuais estarão a serviço da criação coletiva em teatro.
Público alvo: atores, performers e estudantes de teatro.
Inscrições pelo link: https://goo.gl/a23axM.

04/08 (qui), 14h às 18h, na Sala Multiuso do Sesc em Florianópolis (Prainha):
Oficina “O Corpo Pândego”, com Grupo Pândega de Teatro (São Paulo/SP)
Sinopse: A atividade tem o objetivo de experimentar e desenvolver alguns dos procedimentos de criação dramatúrgica e cênica utilizados na construção de “Why the horse?”. Neste contexto, os participantes vão estudar a dramaturgia não textual, o estado de improvisação e o realismo grotesco, entre outros tópicos. A coordenação é de Maria Alice Vergueiro, Fábio Furtado e Carolina Splendore, que se revesam durante a circulação.
Lotação máxima: 20 vagas.
Ministrante: A coordenação é de Maria Alice Vergueiro; Fábio Furtado e Carolina Splendore.

06/08 (sáb), 13h às 19h, na Sala Multiuso do Sesc em Florianópolis (Prainha):
Oficina “O Jogo do Palhaço – Técnica”, com Grupo Trampulim (Belo Horizonte/MG)
Sinopse: Utilizando e praticando técnicas básicas e elementares para qualquer trabalho com a figura do palhaço, o conteúdo desta oficina propõe um desdobramento e a manutenção do estado de vulnerabilidade próprio do palhaço. Paralelamente são desenvolvidas as técnicas de clownaria clássica utilizadas pelos palhaços tradicionais circenses, como slap stiks e cascatas (quedas, tapas, tropeços).
O conteúdo apresenta-se da seguinte forma:
• Estado, desdobramentos do estado e a manutenção do mesmo em cena, a partir de exercícios e processos de exaustão.
• Improvisação, intuição, escuta e conexão; triangulação, contraponto, composição, conflito e equilíbrio.
• Técnicas clássicas de quedas e tapas, reprises clássicas. Recursos Didáticos: Nariz de palhaço*.
OBS: O Grupo disponibilizará narizes de palhaços para empréstimo e venda. Os itens que forem emprestados serão, posteriormente, bem higienizados para suas próximas utilizações.
Público-alvo: Produtores culturais, artistas e aspirantes do fazer cultural.

09/08 (ter), 15h às 19h, na Sala Multiuso:
Oficina “Da cidade à cena: texto, vídeo e atuação a partir de elementos do real”, com Grupo Teatro Carmin (Natal/RN)
Sinopse: Durante seus oito anos de existência, o grupo Carmin tem trabalhado duas vertentes essenciais do teatro contemporâneo: a preparação do ator-pesquisador e a criação de dramaturgia original. Ao longo desse tempo, o Grupo consolidou uma série de práticas resultantes dos processos de montagem das peças “Pobres de Marré”, “Castelo de Lençóis” e “Jacy”. Essas práticas têm como matriz as técnicas de Rasaboxes, mímese corpórea, Yoga, escrita automática e escrita de observação. A oficina “Da cidade à cena: texto, vídeo e atuação a partir de elementos do real” propõe o compartilhamento dessas práticas de criação de personagens e dramaturgia, tendo como ponto de partida a observação de pessoas em situações reais nas ruas. O trabalho é feito de forma ética e respeitosa, não exatamente “usando” as histórias de vida das pessoas observadas, mas elegendo fatos fundadores para o início da ficção. Iniciamos a oficina com a observação mimética do cotidiano para elencar os principais elementos que desenvolvem a criação de nossas peças e personagens. Em seguida, estimulamos a criação de uma tradução da história/pessoa observada para a história/memória levantada pelo ator/dramaturgo. Finalmente introduzimos a linguagem audiovisual (elemento de pesquisa do grupo desde 2012) e propomos uma cena-célula a ser compartilhada. A ideia é que durante as 4 horas de oficina, os participantes possam ter uma vivência de todo o processo de criação do Grupo Carmin.
Ministrantes: Quitéria Kelly; Henrique Fontes e Pedro Fiuza
Necessário levar câmera fotográfica ou celular que bate foto para registro.

23/08 (ter), 15h às 19h, na Sala Multiuso:
Oficina “O ator, o objeto e o boneco na cena contemporânea”, com Cia Les Trois Cles Brasil (Rio de Janeiro/RJ)
Sinopse: A oficina propõe compartilhar uma das etapas fundamentais do processo criativo do grupo, a investigação da relação entre formas inanimadas (bonecos, objetos variados) e as possibilidades expressivas do trabalho do ator-marionetista; proporcionando um leque infinito de soluções e desafios teatrais. A forma inanimada, na figura do boneco, é um caleidoscópio ilimitado de possibilidades criativas e o veículo privilegiado na abordagem do trabalho do ator, inspirada na visão da “super-marionete” desenvolvida na obra de Gordon Craig. A pesquisa se concentra essencialmente na exploração das bases que fundam um teatro pluridisciplinar. O primeiro “objeto” presente na cena é nosso corpo, através dele estabelecemos qualquer relação, percepção e comunicação. Assim, pensamos um teatro que nomeamos, teatro de objetos, teatro de animação e/ou gestual para fundamentalmente estudar as possibilidades de desdobramento do “EU”. As crianças encontram espontaneamente o caminho de uma representação simbólica por meio de objetos com os quais elas brincam e criam o mundo. Diante do boneco, da marionete, estamos imediatamente vinculados a um corpo fictício, o que nos leva a rever e criar novas representações da figura humana, dentro de um espaço já traçado sob o ângulo do não realismo. Exercícios de preparação do ator marionetista, estudo das possibilidades e jogos com objetos, visto não como acessório, mas como um parceiro de jogo, constituem as ferramentes essenciais desta oficina na busca de trazer à luz as insuspeitas e ricas possibilidades cênicas que nascem do jogo entre o ator e as formas inanimadas. O boneco se apresenta ao lado do ator como um catalisador de emoções.
PROGRAMA
O trabalho se articula em 3 fases:
1. AQUECIMENTO/ PREPARAÇÃO FÍSICA
• Estudos da mecânica corporal a partir de um repertório de exercícios gestuais, trabalho de dissociação, articula- ção entre diferentes partes do corpo.
• Exercícios corporais de ritmo e percepção musical.
• Transmissão das técnicas básicas de manipulação através dos bonecos da Companhia.
• Articulação entre as noções de presença e ausência no jogo do ator marionetista.
2. ESTUDO
• Escolha de um objeto ligado a um tema ou texto para investigar as possibilidades dramáticas.
• Criação de uma língua imaginária, de ritmos e gestos para a descoberta das características de um personagem.
• Criação de espaços sonoros.
• Jogos coletivos e individuais.
3. IMPROVISAÇÃO
• Permite desenvolver a imaginação e orientar o trabalho, progressivamente, para a criação de pequenas cenas.
Ministrante: EROS P. GALVÃO; Diplomada na França em Teatro de animação pela ESNAM – Ecole Supérieure Nationale des Arts de la Marionnette de Charleville-Mézières e em Estudos Teatrais pela Université Paris III- Sorbonne Nouvelle.; Eros P. Galvão é atriz-marionetista; diretora e acrobata aérea da Companhia Les Trois Clés.

28/08 (dom), 10h às 13h e 14h às 17h, na Sala Multiuso:
Oficina “Musicalização para atores e não-atores”, com Cia. Pão Doce de Teatro (Mossoró/RN)
Sinopse: Esta oficina tem como objetivo iniciar o participante no universo da música, como complemento para o fazer teatral, propondo o desenvolvimento da prática musical a partir de exercícios contribuintes para a cena a partir da ludicidade.
Público-alvo: Atores e não-atores a partir dos 12 anos
Número de Participantes: 20 participantes
Ministrante: Romero Oliveira e Mônica Danuta 13º Festival Palco Giratório tem programação gratuita por 30 dias com 33 espetáculos

Categorias: Agosto 2016
Deixe seu comentário!
comentários







Cinema Gratuito
Exposições


Inscrições abertas
até 09 Dezembro 2016 Exposição "Conexões Viscerais" e... >> Exposições
até 14 Dezembro 2016 Inscrições para Projeto Verão Cultural CIC... >> Música
até 17 Dezembro 2016 Inscrições para oficinas gratuitas de comp... >> Educação / Cursos
até 25 Dezembro 2016 Inscrições abertas para o 4º Bazar Vegano ... >> Especiais / Outros
até 28 Maio 2017 Ironman Florianópolis 2017 abre inscrições >> Esportes
Curta nossa Fan-page
Siga-nos no Twitter
Buscar