FaceBook Twitter Google+
Início » Arquivo » Eventos de Maio 2018
4ª Semana da Dança UFSC reúne 18 atrações gratuitas para a comunidade



Quando: de 7 a 11 de maio
Onde: UFSC
Quanto: Gratuito
Evento no FB: www.facebook.com/events/214336972681342

Para desenvolver a produção e a realização de ações artísticas, educativas e culturais em dança a Secretaria de Cultura e Arte da UFSC promove a IV Semana da Dança UFSC. Entre os dias 7 e 11 de maio, o campus da UFSC em Florianópolis recebe diferentes propostas artísticas que se apresentam em forma de dança.

Com programação diversificada, gratuita e aberta à comunidade, a IV Semana da Dança contempla a multiplicidade de conhecimentos produzidos na área da dança.

Durante cinco dias, 18 atrações mobilizam artistas e comunidade em torno da dança, espetáculos nacionais, exposições de processo criativo, performances, ensaios, palestras, oficinas e debates abordam os mais variados aspectos da dança.

As atividades acontecem nos espaços da UFSC: campus Trindade Florianópolis, auditório Garapuvu, salas multifuncionais do Centro de Cultura e Eventos, salas multiuso e na Caixa Preta do curso de Artes Cênicas.

Os espetáculos contarão com a presença renomados bailarinos e coreógrafos Antonio Nobrega, Luiz de Abre, Karina Collaço, Daniela Alves, Arrasta Ilha e Abayomi - Dança e Percussão.

Os ingressos são gratuitos e estão disponíveis na secretaria do Departamento de Cultura e Eventos (piso térreo do Centro de Cultura e Eventos da UFSC). No dia dos espetáculos, a distribuição de ingressos será realizada uma hora antes das apresentações.

A Semana terá oficinas com o Grupo Cena 11 Cia. de dança, de jongo com Luiz Canoa, samba no pé, breaking, vogue e muitas outras! Todas as oficinas da IV Semana da Dança são gratuitas. As inscrições serão realizadas com 30 minutos de antecedência no próprio local por ordem de chegada, respeitando o limite de vagas de cada oficina. Somente as inscrições para as oficinas "Dança e Canto Para Gestantes" e "Dança e Canto Para Mamães e Bebês" devem ser realizadas através do email: cantosdegaia@gmail.com
Acompanhe todas as oficinas da IV Semana da Dança no evento: www.facebook.com/events/224312258121390/

Além disso, acontecerá mais uma edição do Café com Dança, trazendo a retrospectiva de Luiz de Abreu como artista negro no cenário da dança contemporânea brasileira.

A 4ª Semana da Dança inicia no dia 7 de maio, às 10h, com o ensaio aberto do novo espetáculo da • Dois Pontos • Cia de DançaTeatro. A atração é um espetáculo de dança de salão “Insânia Loquaz” que tem como tema a Loucura. O título faz referência ao primeiro texto escrito sobre doença mental no Brasil, em 1831, por José Martins da Cruz Jobim considerado um dos pioneiros da Psiquiatria no Brasil e merecedor do título de primeiro Neuropsiquiatra do país.

Nesta quarta edição da Semana da Dança, destaca-se a apresentação da aula-espetáculo “Com Passo Sincopado - Em busca de uma linguagem brasileira de dança” do pesquisador, criador e dançarino pernambucano Antonio Nóbrega. Com performances, vídeos e falas o artista apresenta o seu pensamento sobre uma dança brasileira contemporânea sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais populares – passos, giros, meneios, molejos, gingados, etc.

Outro destaque é a performance “Espetáculo” do coreógrafo mineiro Luiz de Abreu. Considerado um dos maiores bailarinos e performers do país, mestre em Artes Cênicas, com foco em dança, na Universidade Federal de Uberlândia (MG), o artista já se apresentou em países como França, Alemanha, Portugal, Croácia, Cuba, Espanha, Inglaterra, Mali, além de todos os festivais de dança contemporânea do Brasil. Na apresentação de “Espetáculo” é colocado em cena elementos simbólicos como a cana de açúcar, a cachaça, livros, tênis Nike e bananas, promovendo um diálogo entre passado e presente do negro brasileiro. Estes elementos atuam como cenário e ornamento, ao serem colocados em oposição, são também o suporte para que o texto corporal e a dramaturgia do “Espetáculo” sejam construídos.

Além das apresentações de artistas e bailarinos renomados, a Semana da Dança, recebe diversas atrações locais. Karina Collaço e Daniela Alves, artistas independentes de Florianópolis, premiadas em 2017 com o prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, apresentam o espetáculo “Ensaio para algo que não sabemos”. O Grupo Arrasta Ilha que atua desde de 2002 em Florianópolis difundindo a cultura do Maracatu de Baque Virado, o Coletivo Abayomi, que desde 2009 traz o espetáculo “Ainikè”, com movimentos e ritmos tradicionais de matrizes africanas.

A IV Semana da Dança é um evento realizado pela Secretaria de Cultura e Arte (SeCArte) da UFSC, Departamento de Cultura e Eventos (DCEven), Fundação de Amparo à Pesquisa e Extensão Universitária (Fapeu), Departamento de Educação Física do Centro de Desportos (DEF/CDS) e do Departamento de Artes do Centro de Comunicação e Expressão (ART/CCE) com o apoio do Estado de Santa Catarina, Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte, Fundação Catarinense de Cultura, Funcultural e Edital Elisabete Anderle/2017.

Atrações

Ensaio aberto – Insânia Loquaz – Dois Pontos Cia de Dança Teatro
Quando: 7/5 – 10h
Onde: Caixa Preta – Bloco D – CCE
Duração da atividade: 2h
Classificação: 12 anos
Bailarinos: Alexandra Klen, Carolina Rögelin, Guilherme Rocha e Ricardo Tetzner
Dois Pontos Cia de Dança-Teatro – sob a direção de Alexandra Klen e Ricardo Tetzner, com o ensaio aberto de Insânia Loquaz, um espetáculo de dança de salão que tem como tema a loucura. O título faz referência ao primeiro texto escrito sobre doença mental no Brasil, em 1831, por José Martins da Cruz Jobi, considerado um dos pioneiros da Psiquiatria no Brasil e merecedor do título de primeiro Neuropsiquiatra do país. A Cia Dois Pontos está em processo de pesquisa artística para poeticamente encenar a loucura e abre seus caminhos para interessados no tema, na linguagem cênica da Dança de Salão da Companhia.

Oficina – O Jongo de Tradição Banto e Tendências da Contemporaneidade, com Luiz Canoa
Quando: 7/5 - 14h
Onde: Sala 208 – Bloco D – CCE
Duração da atividade: 3h
Classificação: Livre
Jongo é uma manifestação cultural essencialmente rural diretamente associada à cultura africana no Brasil e que influiu poderosamente na formação do Samba carioca, em especial, e da cultura popular brasileira como um todo.
Ministrada pelo performer Luiz Canoa, a oficina abre caminho para se adentrar em uma relação entre a tradição da dança do Jongo paulista e algumas tendências da prática do contemporâneo no sentido, principalmente, da noção de territorialização-desterritorialização da linguagem e encontro comambiênte de estranhamento a partir do jogo claro do Jongo.
Com duração estimada em 3 horas/aula a oficina experimenta um pouco do universo da dança e dos pontos (Cânticos) de jongo. Incorporando esse material, de alguma forma, que se possa criar um território de linguagem no corpo e na ambiência da participação. Posteriormente, este material deverá ser “deformado”, “reformado”, “pós-formado” e performado.

Estratégias de conexão para a dança a dois, com Grupo Experimental
Quando: 8/5 – 10h30
Onde: Sala 210 – Bloco D - CCE
Duração: Coreografia: 03min. Prática: 30 min.
Indicação: Livre para todos os públicos
Nesta oficina serão trabalhados jogos e exercícios que trazem reflexões e estratégias de como duas pessoas podem se movimentar harmonicamente, a fim de buscar uma conexão que possibilite novos caminhos dentro da linguagem da dança a dois. Será apresentada uma coreografia e, em seguida, haverá uma prática de forró, com influências do baião, envolvendo os bailarinos e o público.
Direção: Tassiana Leivas Bastos
Coreografia: Criação coletiva
Bailarinos: Bárbara Dell’Antonia Koehler, Caio Tomaz, Dayane Ros, Igor Bavaresco, Jefferson Leque, Larissa Sell, Luckas Souza, Phellipe Perin, Sofia Derycke e Tassiana Bastos.

Antonio Nóbrega – aula-espetáculo: Com Passo Sincopado
Quando: 8/5 – 20h
Onde: Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos
Classificação: 12 anos
Antonio Nóbrega – renomado pesquisador, criador e dançarino pernambucano apresenta a “Aula-espetáculo: Com Passo Sincopado – Em busca de uma linguagem brasileira de dança”. Por meio de performances, vídeos e falas, Nóbrega mostra o seu pensamento sobre uma dança brasileira contemporânea sistematizada a partir do encontro de matrizes corporais populares – passos, giros, meneios, molejos, gingados, etc. – com princípios técnicos, práticas e procedimentos formais. Esboça também uma interpretação da cultura brasileira levando em conta tanto a sua ascendência ocidental ou europeia – classe dominante, letrada – quanto a popular – marginal e de substrato oral.

Oficina Samba no Pé (iniciantes), com Lays Matias
Quando: 9/5 – 12h
Onde: Sala 208 – Bloco D - CCE
Duração: 1:15
Indicação: A partir de 14 anos
Número de vagas: 25
A oficina Samba no Pé visa oportunizar aos alunos vivências relacionadas ao samba. Os participantes terão oportunidade de apreender noções básicas da dinâmica dos movimentos desta importante manifestação da cultura brasileira. As atividades propostas procuram desenvolver a percepção rítmica, a expressividade e, principalmente, o aprendizado da técnica do Samba no Pé propriamente dita e suas vertentes em formas coreográficas. Esta oficina faz parte do projeto Dança Poesia em Movimento desenvolvido no CDS/UFSC e coordenado pela profa. Dra. Vera Torres. O projeto tem por objetivo proporcionar à comunidade o acesso ao conhecimento e a prática da dança em seus diferentes gêneros, enfatizando a diversidade de contextos culturais “dançantes” e incentivando a inovação artística. Lays Matias é passista e estudante de Educação física da UFSC; ela ministra aulas de Samba no projeto Dança Poesia em Movimento desde 2015.

Oficina de Breaking, com Guilherme Fant
Quando: 9/5 – 13h
Onde: Sala 210 – Bloco D - CCE
Duração: 1h
Indicação: 12 anos
Nesta oficina serão trabalhadas as técnicas e fundamentos deste estilo através do preparo corporal para o desenvolvimento dos movimentos. Além da dança, serão trabalhados movimentos como handstand, freezes e footwork em dinâmicas de dupla. Após a oficina, teremos uma Roda de Breaking, onde todos podem dançar e mostrar seus movimentos.

Oficina de Vogue, com William Mario
Quando: 9/5 – 15h
Onde: Sala 210 – Bloco D - CCE
Duração: 2:00
Indicação: 12 anos
A oficina fará uma introdução a cultura Vogue, tanto na questão prática quanto teórica, resgatando sua história e importância política no meio LGBTQI. A parte prática consiste em um treino dos elementos básicos do Vogue Femme finalizando com uma sequência coreográfica. Não é necessário ter experiência com o estilo, se joga!

Luiz de Abreu – Espetáculo
Quando: 9/5 – 19h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos
Luiz de Abreu – o coreógrafo mineiro apresenta a performance “Espetáculo”, que coloca em cena, através de elementos simbólicos como a cana de açúcar, a cachaça, livros, tênis Nike e bananas, abrindo um diálogo entre passado e presente do negro brasileiro. Estes elementos, que servem como cenário e ornamento, ao serem colocados em oposição, são também o suporte para que o texto corporal e a dramaturgia do Espetáculo. Este trabalho foi criado a partir de fotografias de escravos do séc. XlX, de documentos sobre o cotidiano do escravo do séc. XVlll e registros sobre a discriminação racial, arquivados no Ministério Público do Estado da Bahia no Séc. XXl, e músicas do período da ditadura brasileira.

Café com Dança
Quando: 10/5 – 14h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos
Conceituado ciclo de palestras e debates da UFSC recebe o bailarino e coreógrafo Luiz de Abreu que fará uma retrospectiva de sua trajetória discutindo sua própria experiência como artista negro no cenário da dança contemporânea brasileira. O público terá a oportunidade de conversar com o artista e ainda saborear um delicioso café.
Luiz de Abreu nasceu em Araguari (MG), onde travou seu primeiro contato com a dança nos terreiros de umbanda. Iniciou os estudos em dança na cidade de Uberlândia de onde, em seguida, mudou-se para Belo Horizonte. Na capital mineira trabalhou em várias companhias de dança. Em meados dos anos 1990 chegou a São Paulo, onde teve início sua carreira solo. Já se apresentou em países como França, Alemanha, Portugal, Croácia, Cuba, Espanha, Inglaterra e República do Mali, além de participar dos mais diversos festivais de dança contemporânea do Brasil. O registro fílmico de sua obra O Samba do Crioulo Doido faz parte do acervo permanente do Centro George Pompidou e também do Centro Nacional da Dança (CND), ambos na França. Atualmente, mora entre São Paulo e Salvador, aprofundando suas investigações a respeito do corpo negro na arte. Formado em Dança na Faculdade Angel Vianna (RJ), é mestre em Artes Cênicas, com foco em dança, pela Universidade Federal de Uberlândia (MG). Atualmente é aluno especial de doutorado do Programa de Pós-Graduação de Artes Cênicas da UFBA.

Ensaio para algo que não sabemos
Quando: 10/5 – 19h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Classificação: 12 anos
Ensaio para algo que não sabemos. Protótipo 1: construção – apresentado por Karina Collaço e Daniela Alves artistas independentes de Florianópolis, premiadas em 2017 com o prêmio Elisabete Anderle de Estímulo à Cultura, “Ensaio para algo que não sabemos” é uma dança que não parte de padrões pré-estabelecidos, mas que instaura novas concepções de sentido e significado; uma dança que parte de um corpo vulnerável e aberto, e não um corpo que apenas repete formas e procedimentos “bem-sucedidos” aos olhos do grande público. As partituras coreográficas de caráter investigativo dialogam com a construção de imagens, sons, estados corporais que norteiam cinco princípios: coreografia, contaminação, cópia, combinação, apropriação.

Dança e Canto Para Mamães e Bebês, com Janaina Martins
Quando: 11/5 – 9h30
Onde: Sala 210 - Bloco D - CCE
Duração: 1h30
Indicação: Mamães e bebês de 5 a 9 meses de idade
Inscrição via e-mail: cantosdegaia@gmail.com
O projeto "Cantos de Gaia" convida as mamães para cantar e dançar a maternidade. Inspiradas nas expressões vocais e nos movimentos corporais dos bebês, iremos juntas cantar e dançar a partir do potencial criativo materno, abraçando e embalando os bebês em frequências sonoras de amor. A vivência é um convite para um encontro cantante e musical, trazendo como propostas a composição de músicas coletivas a partir das explorações vocais do bebê, a descoberta de possibilidades de movimentos do corpo junto com os movimentos dos bebês e a expressão de sentimentos, desejos e afetos por meio da música, da dança e da voz. Venha celebrar a arte feminina na maternidade.

Workshop Percepção Física e Composição Generativa
Quando: 11/5 – 10h
Onde: Caixa Preta – CCE Bloco D
Duração: 04 horas
Classificação: 12 anos
Ministrado pelo coreógrafo Alejandro Ahmed e pela bailarina Mariana Romagnani da companhia catarinense Grupo Cena 11, o curso visa instrumentalizar o corpo para processar informações de maneira a torná-lo mais apto a observar e fazer um exercício crítico constante do movimento, buscando um controle mais apurado das dramaturgias que este pode propor. Esta oficina é voltada para o exercício de estratégias coreográficas que evidenciem a coautoria de cenas formuladas através de emergências composicionais.

Arrasta Ilha
Quando: 11/5 – 18h
Onde: Varandão do CCE
Classificação: livre
Atua desde de 2002 em Florianópolis e tem por objetivo difundir a cultura do Maracatu de Baque Virado, além de outras manifestações populares como o boi de mamão, afoxé e coco de roda. Atualmente, o Maracatu é pesquisado por diversos grupos e pessoas praticantes da música e dança característica deste folguedo, no Brasil e no mundo. A apresentação do Maracatu do Arrasta Ilha na Semana da Dança será em forma de cortejo em algumas áreas externas do campus da UFSC.

Coletivo Abayomi
Quando: 11/5 – 19h
Onde: Auditório Garapuvu – Centro de Cultura e Eventos
Classificação: livre
Coletivo Abayomi – com sede em Florianópolis desde 2009, traz o espetáculo Ainikè, que significa “oi” e “obrigado” na língua Malinkê. É uma expressão utilizada todos os dias ao nascer do Sol na aldeia de Sangbarala, no noroeste da Guiné Conakry, África. É na corporeidade dos povos que habitam essa região que o Abayomi busca referências para, através da linguagem da dança, criar poéticas de encontros entre o Rio Djoliba (Níger) e Oxum, orixá simbolizado pelos rios e cachoeiras no Brasil. O Abayomi fundamenta seu trabalho na criação e desenvolvimento de vocabulário, padrões de movimentos e ritmos tradicionais de matrizes africanas no contexto da dança e música Mandén (tronco linguístico do oeste africano). Realiza diversas ações e eventos com o objetivo de ampliar, disseminar e fomentar as artes e cultura africana enquanto desenvolvimento humano, artístico e coletivo.

Confira a programação completa e mais informações no link: www.facebook.com/semanadadancaufsc

Programação completa:

4ª Semana da Dança UFSC reúne 18 atrações gratuitas para a comunidade


Categorias: Maio 2018
Tags: Dança, UFSC
Deixe seu comentário!





Cinema Gratuito
Exposições


Inscrições abertas
até 24 Julho 2018 Inscrições para minicurso gratuito de fotografia específico para jovens
até 25 Julho 2018 Sala Verde UFSC promove atividades gratuitas
até 08 Agosto 2018 Prefeitura abre 800 vagas em cursos profissionalizantes gratuitos para jovens


Curta nossa Fan-page
Siga-nos no Twitter


Buscar